Congresso Nacional de Educação Financeira

iG Minas Gerais |

No último mês, tive oportunidade de participar em São Paulo de dois eventos que mostram a valorização do tema Educação Financeira. No dia 28 de agosto, participei do 1º Congresso Nacional de Educação Financeira para Crianças – Conefinho. Especialistas e educadores apresentaram, de forma lúdica e interativa, noções sobre os três pilares nos quais o Conefinho se apoiava: educação financeira, empreendedorismo e sustentabilidade. A proposta foi dividir a primeira edição do Conefinho em dois períodos: manhã e tarde. No primeiro período, que abrangeu o horário das 7h30 às 11h30, foi dirigida a educadores, pais e pessoas interessadas no assunto. O local escolhido, Circo dos Sonhos (no shopping center Mooca), foi palco de palestras que apresentaram aos participantes como é importante levar ao público infantil noções sobre finanças, empreendedorismo e sustentabilidade. Materiais e conteúdos sobre os temas desenvolvidos por empresas e especialistas foram disponibilizados a todo público presente. Durante a tarde, das 13h30 às 17h30, cerca de 500 alunos de escolas públicas e privadas, inscritos por suas instituições, compareceram ao evento e foram divididos em turmas que participaram de um ciclo de atividades, com apresentação de conteúdos desenvolvidos exclusivamente para essa faixa etária, por meio de oficinas, leituras, gincanas etc. As atividades abrangeram temas como: a história do dinheiro, sustentabilidade, meu primeiro cofrinho, entre outras temáticas que variavam de acordo com o interesse do patrocinador. No último sábado, participei do 2º Conefin – Congresso Nacional de Educação Financeira. O evento teve um quadro de palestras e debates centrais, em que foram abordados os temas que se referem à temática principal do evento: “A educação financeira nas diferentes fases da vida”. O primeiro painel (As finanças para as primeiras fases da vida) mostrou que até os 20 anos somos apenas gastadores, isto é, ainda não geramos nenhuma renda ou não há renda suficiente para conquistar estabilidade. Estudos indicam que a adolescência é a fase da vida que demanda mais despesas: famílias de classe média com filhos entre 12 e 19 anos gastam cerca de 5% acima dos ganhos mensais. Ainda assim, nessa fase já temos contato com o dinheiro, e é quando precisamos aprender a lidar com isso para nos prepararmos para as fases seguintes. O segundo painel (Hora de assumir riscos) mostrou como não se endividar, como começar a investir, formas de empreender. Já o terceiro painel (O papel do provedor), abordou a fase em que a estabilidade começa a nos acompanhar e passamos a nos preocupar mais com o futuro, nossos e de nossas famílias. O tema do quarto e último painel foi Desfrutando da maturidade. Todos desejam, um dia, poder diminuir sua carga de responsabilidade em relação à vida profissional, ter mais tempo para vida pessoal e descansar após anos de trabalho. Mas, em algumas situações, o aposentado acaba tendo um gasto maior do que quando jovem: 30% do salário do aposentado são gastos com remédios, por exemplo. Para alcançar esse descanso com conforto e qualidade de vida, precisamos saber administrar bem nossa renda enquanto ainda estamos completamente ativos no mercado e, também, precisamos saber continuar a gerir o dinheiro e mudar nossos hábitos para uma fase completamente diferente e nova. Neste mês, continuo com a promoção do livro “Meu Dinheiro”, buscando que mais pessoas possam adquiri-lo. Os leitores interessados podem me enviar um e-mail que retorno com as indicações de como proceder. No livro, são discutidos temas importantes sobre finanças pessoais de uma forma que ajude os leitores a melhorar o seu relacionamento com o dinheiro. Mandem dúvidas e sugestões para o e-mail carloseduardo@harpiafinanceiro.com.br.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave