Resultado fiscal do país em agosto é o pior da história

Meta de superávit primário para 2014 não deve ser atingida

iG Minas Gerais |

Brasília. Confirmando o quadro de deterioração fiscal do Brasil, as contas do Governo Central (Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência) registraram um déficit primário de R$ 10,422 bilhões em agosto, o quarto consecutivo em 2014. O valor é o pior resultado fiscal para meses de agosto em 18 anos. Segundo a série histórica do Tesouro Nacional, que começa em 1997, foi a primeira vez que o Governo Central teve resultado negativo em um mês de agosto.

Já o setor público consolidado – que é o Governo Central, Estados, municípios e estatais, com exceção de Petrobras e Eletrobras – apresentou déficit primário de R$ 14,460 bilhões em agosto, informou o Banco Central. Pela série histórica da instituição, é o pior resultado desde dezembro de 2008, quando ficou negativo em R$ 20,951 bilhões, e também o pior para o mês de agosto da série histórica do BC, iniciada em dezembro de 2001. Esta também é a primeira vez que o BC registra déficit no resultado do setor público por quatro meses consecutivos.

Os dados da área fiscal anunciados pelo Tesouro Nacional e pelo Banco Central mostram um cenário muito ruim, e a tendência é de piora, na avaliação do economista-chefe da Quantitas Asset Management, Gustav Gorski. Ele não acredita que as metas de superávit primário sejam atingidas em 2014, mesmo com manobras e recursos extraordinários.

Números

R$ 167,4 bilhões, ou 3,1% do PIB, é a meta cheia de superávit

R$ 116,1 bilhões (2,2% do PIB) é a meta só do governo central

35,9% do PIB é a dívida líquida do setor público em agosto

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave