Claro arremata melhor lote do leilão para internet 4G

Ao custo de R$ 1,947 bilhão, a tele conquistou o direito a operar na melhor faixa de cobertura, que, segundo especialistas, é a que deve sofrer menos interferência dos canais de TV

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Anatel realiza nesta terça (30) o segundo leilão de internet 4G do país, com ofertas de três lotes para cobertura nacional e três para cobertura regional
Reprodução/Wikipedia
A Anatel realiza nesta terça (30) o segundo leilão de internet 4G do país, com ofertas de três lotes para cobertura nacional e três para cobertura regional

O primeiro lote nacional leiloado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) para expansão do serviço de internet 4G no país foi arrematado pela Claro.

Ao custo de R$ 1,947 bilhão, a tele conquistou o direito a operar na melhor faixa de cobertura, que, segundo especialistas, é a que deve sofrer menos interferência dos canais de TV.

O valor supera em R$ 20 milhões o preço mínimo estabelecido pelo governo, ágio de 1%.

A Anatel realiza nesta terça (30) o segundo leilão de internet 4G do país, com ofertas de três lotes para cobertura nacional e três para cobertura regional.

O primeiro deles, visto como o mais interessante pelas empresas, oferece possibilidade de cobertura em todo país e deve apresentar menos problemas de interferência da rede com os canais de TV, por causa da posição que ele ocupa na faixa de 700 MHz.

O segundo e o terceiro, também de cobertura nacional, devem exigir mais das empresas na implantação da rede, segundo especialistas, pois podem apresentar mais problemas de interferência. O lance mínimo para cada um dos três primeiros lotes é R$ 1,928 bilhão.

Há um outro lote que permite cobertura em praticamente todo Brasil, com exceção de 89 municípios nos Estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná. Neste caso, o lance mínimo é R$ 1,893 bilhão.

Lances

Durante a abertura de envelopes, na sede da reguladora, em Brasília, a Telefônica/Vivo apresentou o preço mínimo, de R$ 1,927 bilhão. Já a TIM arredondou o valor para R$ 1,928 bilhão. O maior lance foi da Claro, com R$ 1,947 bilhão.

A empresa Alagar, quarta participante do leilão, sequer apresentou garantias para este lote, sem interesse no lote de cobertura nacional.

Durante o processo, a Telefônica/Vivo e a TIM optaram por não fazer lances maiores, desistindo da disputa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave