Socialista age de olho em alianças futuras

Na avaliação do partido, conta a favor de Alckmin o fato de que Marina não concorrerá à reeleição se chegar à Presidência

iG Minas Gerais |

Brasília. Mesmo com a queda nas últimas pesquisas de intenções de voto, a campanha de Marina Silva (PSB) continua de olho no segundo turno da disputa presidencial e aposta na conquista dos opositores da presidente Dilma Rousseff para chegar ao Palácio do Planalto.

 

Pessoas próximas à candidata já começam a fazer gestos para atrair políticos que podem ajudar a derrotar o PT, principalmente tucanos como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que deverá se reeleger no primeiro turno no maior Estado do país.

Desde a semana passada, a própria Marina amenizou as críticas a Alckmin e o distanciamento que vinha mantendo do tucano: retirou o veto que impunha ao uso de imagens dos dois juntos. Enquanto alguns acreditam que Alckmin cruzará os braços e não ajudará Marina, integrantes do PSB apostam no contrário.

Na avaliação do partido, conta a favor de Alckmin o fato de que Marina não concorrerá à reeleição se chegar à Presidência. Assim, deixará o caminho livre para um sucessor em 2018.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave