Tucano escala Nerso da Capitinga para atacar rival em Minas

Campanha repete mesma estratégia usada em Goiás, onde Marconi Perillo (PSDB), que tenta se reeleger governador, também resgatou o personagem do humorista Pedro Bismarck para fazer uma série de ataques aos seus adversários políticos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Na reta final da campanha eleitoral, o candidato Pimenta da Veiga (PSDB), que disputa o governo de Minas Gerais, escalou o personagem Nerso da Capitinga para atacar seu principal adversário, Fernando Pimentel (PT), líder nas pesquisas de intenção de voto no Estado.

Pimenta da Veiga é o candidato do presidenciável tucano Aécio Neves, que intensificou nos últimos dias a campanha em Minas Gerais. Nesta segunda, por exemplo, Aécio e Pimenta da Veiga fizeram campanha em Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

A campanha dos tucanos em Minas repete a mesma estratégia usada em Goiás, onde Marconi Perillo (PSDB), que tenta se reeleger governador, também resgatou o personagem do humorista Pedro Bismarck para fazer uma série de ataques aos seus adversários políticos.

Nesta segunda-feira (29), Nerso da Capitinga apareceu no programa eleitoral declarando voto ao candidato do PSDB ao governo de Minas. Numa enquete intitulada "Nerso e os processos do Pimentel do PT", ele classifica a campanha do petista como "campanha do esconde-esconde".

O personagem de Pedro Bismarck aparece segurando uma lupa num cenário ilustrado, que remete aos quadrinhos de Chico Bento, criado por Maurício de Souza.

Nerso lista processos que o petista responde na Justiça, referentes à fraude em licitação e desvio de verbas. Pimentel nega todas as acusações.

Depois de citá-las, Nerso fala com seu carregado sotaque caipira: "Sabe o que ele falou? Que é normal ter processo, normal um político ter processo. Normal é ser sério, rapaz. Normal é ser correto. Normal é ser digno, é ser direito".

Os vídeos já estão no canal de Pimenta da Veiga no You Tube. Foram postados nesta segunda. Numa outra enquete, Nerso diz: "Ele é réu. Até rima: el, el, é réu". São, ao todo, quatro enquetes falando dos processos que Pimentel responde, referentes ao período em que foi prefeito de Belo Horizonte, de 2001 a 2008.

Os ataques do candidato do PSDB ao petista já renderam direito de resposta. Pimentel ganhou na quinta-feira (25) direito a um minuto no programa de TV do PSDB. Por três votos a dois, a corte do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) acatou o pedido do petista sobre os ataques.

A campanha de Pimentel também já contra-atacou. A partir da segunda-feira (22) passou a citar um episódio envolvendo o rival Pimenta da Veiga e o empresário Marcos Valério de Souza, o operador dos mensalões do PT e do PSDB, que está preso.

Neste ano, Pimenta foi indiciado pela Polícia Federal sob suspeita de lavagem de dinheiro, por ter recebido R$ 300 mil de Valério em 2003. Ele só declarou o valor em retificação do Imposto de Renda em 2005, quando a investigação do mensalão estava em curso e o caso veio à tona.

Pimenta nega qualquer irregularidade na relação que teve com Valério.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave