Educação, transporte, habitação, água... o que você não viu no debate

Enquanto tratavam de Petrobras, corrupção e ideologias, candidatos ignoraram problemas dos brasileiros

iG Minas Gerais | Ricardo Corrêa |

ESTADÃO CONTEÚDO
undefined

Enquanto Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSB) discutiam sobre Petrobras e corrupção, e Marina Silva tratava das políticas do governo atual para o etanol, ou sobre a pouca diversidade da matriz energética brasileira, nanicos se alfinetava sobre a ideologia e as alianças entre seus partidos. Foi o que aconteceu, por exemplo, com Luciana Genro (PSOL) e Eduardo Jorge (PV). Paralelamente, ouviu-se opiniões conservadoras sobre casamento gay, vindas sobretudo de Levy Fidelix (PRTB) e Pastor Everaldo (PSC). Por outro lado, assuntos de importância vital, já há tempos apontados pelos brasileiros como grandes problemas do país passaram ao largo das discussões no debate dos presidenciáveis na Record. O Olho Neles elenca cinco deles:

1) EDUCAÇÃO

Tema tratado com promessas a cada eleição, e uma das vedetes de debates anteriores, a educação foi solenemente ignorada pelos concorrentes. Nenhuma pergunta sequer, nenhuma proposta ou diagnóstico sobre o tema apontado pelo ibope como o terceiro maior do país na pesquisa "Retratos do Brasil", publicada em fevereiro de 2014, veio à tona.

2) TRANSPORTE PÚBLICO

Fator que desencadeou as manifestações de 2013, que colocaram medo nos políticos, o transporte público sumiu dos comentários dos candidatos. Assim, quem viu o debate inteiro ficou sem saber o que eles pretendem fazer para resolver os problemas de má qualidade e alto custo do transporte público nas cidades brasileiras.

3) USO RACIONAL DA ÁGUA

Em meio a uma seca sem precedentes, com reservatórios vazios, os candidatos trataram apenas dos impactos do problema na questão da energia. Assim, a real discussão sobre o uso racional da água para que não fiquemos sempre dependendo de São Pedro e da construção de usinas pelo Brasil afora foi ignorada. É como se água só servisse para gerar energia.

4) HABITAÇÃO

Estima-se que o país tenha um déficit habitacional que supera 6 milhões de unidades, ainda que programas como o "Minha Casa, Minha Vida" tenham sido criados para enfrentar o problema. Ainda assim, os candidatos passaram longe do tema e não se viu proposta efetiva para resolver o problema da moradia no país durante o embate da Record.

5) IMPOSTOS

Ainda que falem sobre Selic, independência do Banco Central e rumos da macroeconomia, os candidatos não focaram na discussão sobre o alto valor dos impostos e a baixa qualidade do retorno ao cidadão. A reforma tributária, que é sempre tratada em vésperas da eleição e apareceu em debates anteriores, desta vez, sumiu das perguntas e respostas dos candidatos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave