Após declaração, curtidas em página de Levy Fidelix aumentam 470%

Desde que o candidato nanico, em resposta à Luciana Genro (PSOL), afirmou que casais do mesmo sexo não têm condições de ter filhos e que "aparelho excretor não reproduz", o número de curtidas na página oficial cresceu

iG Minas Gerais | Ricardo Corrêa e Lucas Ragazzi |

Página de Levy Fidélix teve um aumento grande após sua declaração em debate
Reprodução/Facebook
Página de Levy Fidélix teve um aumento grande após sua declaração em debate

A polêmica declaração de Levy Fidelix durante o debate do último domingo (28), realizado pela Rede Record, parece ter, assustadoramente, tido um efeito positivo para a campanha do presidenciável do PRTB.

Desde que o candidato nanico, em resposta à Luciana Genro (PSOL), afirmou que casais do mesmo sexo não têm condições de ter filhos e que "aparelho excretor não reproduz", o número de curtidas na página oficial de Fidelix aumentou 470%.

Além disso, de acordo com a ferramenta Topsy, que mapeia e calcula o número de menções a expressões e nomes em tempo real no Twitter, o nome de Levy Fidelix teve um crescimento de quase 400%, sendo que duas de cada dez menções eram positivas ao presidenciável.

Durante a fala, ele comparou a questão da homossexualidade com a pedofilia no Vaticano, elogiando a atitude do Papa de "expurgar os pedófilos".

Fidelix disse, ainda, que se eleito presidente jamais vai "estimular" o casamento gay. "O Brasil tem 200 milhões de habitantes, se começarmos a estimular isso aí daqui a pouquinho vai reduzir para 100", afirmou. O candidato ainda sugeriu que o "problema" seja tratado com ajuda psicológica e clamou: "somos maioria, vamos combater essa minoria".

No início de setembro, o blog Olho Neles conversou com Levy Fidelix a respeito de temas polêmicas. Sobre a criminalização da homofobia e do casamento gay, o candidato já afirmava ser radicalmente contra e se classificava como 'conservador'. Ele também afirmou não ser a favor das cotas racias nas universidades, que, segundo Fidelix, 'dividem o país'.

Leia tudo sobre: políticafidélix