Enterrada viva, mulher morre sufocada na Grécia

Segundo polícia, mulher de 45 anos tinha câncer e teve seu óbito declarado por médicos à frente do seu tratamento; visitantes do cemitério teriam ouvido mulher gritando, de dentro do túmulo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Confira o funcionamento dos cemitérios municipais neste sábado
PBH/ DIVULGÇÃO
Confira o funcionamento dos cemitérios municipais neste sábado

Uma mulher morreu após ser enterrada viva, na Grécia, na última quinta-feira (25). Segundo a polícia, que investiga o caso, a mulher de 45 anos tinha câncer e teve seu óbito declarado por médicos à frente do seu tratamento.

No cemitério onde o fato aconteceu, em Salônica, segunda maior cidade da Grécia, diversos visitantes disseram a policiais ter ouvido sons de batidas e gritos vindos do túmulo uma hora depois do funeral da mulher. A polícia foi, então, chamada até o local.

Segundo a imprensa grega, depois de abrir a cova, a mulher foi encontrada morta por sufocamento. Os parentes da vítima consideram a possibilidade de fazer uma queixa contra os médicos responsáveis por seu tratamento em uma clínica de câncer.

Em entrevista, uma das médicas disse não acreditar no fato, pois havia feito diversos exames na mulher, incluindo um que atestava que o coração não batia mais. Segundo ela, seria impossível que "alguém num estado de rigidez cadavérica pudesse gritar e bater em um caixão".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave