Sem resposta da CBF, Cruzeiro vai o STJD para 'liberar' Breno Lopes

Para evitar dor de cabeça, clube mineiro quer autorização por escrito para escalar o lateral-esquerdo

iG Minas Gerais | Da Redação |

Contra o Coxa, lateral-esquerdo Breno Lopes pode ter a sua primeira oportunidade vestindo a camisa celeste
Gualter Naves/Light Press
Contra o Coxa, lateral-esquerdo Breno Lopes pode ter a sua primeira oportunidade vestindo a camisa celeste

Após os polêmicos julgamentos do STJD, que puniu clubes como o América pela escalação irregular do lateral-esquerdo Eduardo, o Cruzeiro só escalará Breno Lopes com um documento vindo do próprio órgão. Como o lateral-esquerdo já realizou 15 partidas pelo Paraná, na Série B, o clube mineiro entende que o regulamento não deixa claro se o atleta entra na limitação de sete jogos que é imposta para transferências de jogadores entre times da mesma divisão. 

Inicialmente, a Raposa consultou a CBF para verificar a situação de Breno. No entanto, a entidade se limitou a dar um esclarecimento verbal, como afirmou o supervisor de futebol, Benecy Queiroz, em entrevista à Rádio Itatiaia, nesse sábado. 

"O Breno é um jogador que atuou pelo Paraná na Série B. O regulamento da Série A fala que o jogador não pode jogar mais de seis partidas, ele fez 15 pela Série B. Nós fizemos uma consulta escrita no dia 17 (há dez dias) ao Manoel Flores, que é o responsável pela diretoria de competições, e ele nos informou, verbalmente, que tinha condição", explicou Benecy, que esteve no Rio de Janeiro para resolver a situação.

Breno chegou a ser relacionado para a partida contra o Coritiba. O nome dele constou na súmula, mas o Cruzeiro pediu a retirada do atleta, momentos antes do jogo. 

O supervisor afirmou que a recomendação do presidente Gilvan de Pinho Tavares é que o jogador somente seja escalado quando o documento estiver em mãos. 

"O presidente (Gilvan de Pinho Tavares) pediu que fosse feita uma 'autorização' por escrito. Fomos até a sede da CBF, conversamos com o Manoel Flores e eles decidiram, e vão mandar esse comunicado para todos os times do Brasil, que, a partir de agora, a CBF não responde por escrito a nenhuma solicitação de seus afiliados", ressaltou Benecy Queiroz. "Diante da decisão da CBF, o presidente determinou que o jogador ficasse fora do jogo e segunda-feira vamos enviar um ofício solicitando essa informação ao STJD", completou. 

Benecy Queiroz não deixou de criticar a entidade pelos problemas que a falta de clareza do regulamento tem causado aos clubes brasileiros.

"É estranho. Na verdade, o jogador já está no plantel, está dentro do esquema e poderia ficar no banco de reservas, para ajudar. Vamos esperar segunda-feira e ver se resolve. Vamos ver também se daqui para frente o regulamento pode ser revisto, em pontos obscuros, para que a gente possa ter mais tranquilidade", concluiu. 

Leia tudo sobre: CruzeiroBreno LopesfutebolpolêmicaSTJDautorizaçãolateral-esquerdo