Ana Cláudia de Brito Soares

Dermatologista Sociedade Brasileira de Dermatologia/MG

iG Minas Gerais | Litza Mattos |

Banhos de tipos variados podem trazer algum risco à pele?

É pouco provável. Na verdade, a proposta desses banhos é melhorar a textura da pele, aliados a um tratamento relaxante, com algumas substâncias que podem ter ação antioxidante, hidratante ou levemente esfoliante.

Mas a quantidade de substâncias é suficiente? É preciso olhar com muita crítica, pois as quantidades (de vinho, chocolate) são muito pequenas. Também é preciso observar a temperatura e o tempo. Se o banho for demorado e muito quente, pode promover o ressecamento da pele.

Qualquer pessoa pode fazer?

Em grávidas e crianças não faz sentido. O público ideal é de mulheres adultas, que façam os banhos, no máximo, uma vez por semana. É preciso saber que não é mágica, não é milagroso como se vende.

E quem tem algum tipo de alergia? Teoricamente, para quem tem intolerância à lactose, não traz nenhum risco, uma vez que o leite ou chocolate não vão ser ingeridos. Porém, quem tem alguma lesão na pele, dermatite atópica, pele mais sensível e que se irrita mais facilmente não deveria fazer sem antes procurar um dermatologista.

O que verificar no local em que for fazer o banho?

A higienização de banheiras é muito importante, pois elas guardam umidade e podem ser um local de proliferação de fungos. O que vale é aliar um momento agradável à possibilidade de hidratar de leve e com ação antioxidante discreta, mas, mais do que isso, não se deve prometer.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave