Paixão pela vida militar desde cedo

Já acostumado ao novo local onde vive, Rafael revela seus planos para o futuro

iG Minas Gerais |

A história de Rafael Lusvarghi é recheada de capítulos que envolvem a participação em grupos militares, oficiais ou não. Aos 18 anos, ele foi morar na França onde se tornou combatente na Legião Estrangeira, uma corporação ligada ao Exército francês, mas que aceita o alistamento de pessoas de qualquer nacionalidade. “Fui para a legião porque gosto da história da França e porque são excelentes guerreiros, sempre quis ser o melhor também”, revela.  

Três anos mais tarde, ele voltou ao Brasil, e entre 2006 e 2009, foi policial militar em São Paulo e no Pará. No ano seguinte, o ativista se mudou para a Rússia. “Tentei servir o Exército russo porque amo a Rússia”, diz.

Já acostumado ao novo local onde vive, Rafael revela seus planos para o futuro. “Eu gostaria de ficar aqui na Nova Rússia e me tornar um pequeno fazendeiro, pois adoro trabalhar com terra e animais. Mas se os sérvios precisarem de ajuda, com a maior alegria ajudaria eles, pois já os considero irmãos”, finaliza o ativista.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave