Modelo já está sendo modificado

Outro fator apontado pelo superintendente que pode estar influenciando os dados é o repasse dos números pelos prestadores de serviço

iG Minas Gerais | Aline Diniz |

O Superintendente da Rede de Atenção à Saúde de Minas Gerais, Marcílio Dias, informou à reportagem que o modelo de tratamento aos pacientes que sofrem de transtorno mental está passando por modificação para atender a legislação, que não permite que o doente seja hospitalizado. Os pacientes passaram a ser tratados em ambulatórios.  

Além da transição, que pode ter causado imprecisão nos dados, o modelo de financiamento também está passando por ajustes.

Outro fator apontado pelo superintendente que pode estar influenciando os dados é o repasse dos números pelos prestadores de serviço. “Se o prestador quiser inventar que produziu e não produziu, ele pode, mas vai ter que responder pelo ato ilícito”, disse.

O servidor informou que não existe um estudo científico para saber se a atuação dos profissionais de saúde está reduzindo a precisão dos diagnósticos. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave