Lições para se manter no G-4

Galo espera mais atenção neste domingo, contra o Vitória, para continuar lutando no topo da tabela

iG Minas Gerais | Thiago Prata |

Grupo consciente. Jogadores sabem que precisam ter mais atenção na defesa e eficiência na finalização para evitar sustos nos jogos
LEO FONTES / O TEMPO
Grupo consciente. Jogadores sabem que precisam ter mais atenção na defesa e eficiência na finalização para evitar sustos nos jogos

Tudo na vida do Galo é sofrido. Uma frase que se tornou um ditado popular na sociedade atleticana. E foi dessa forma que o time conseguiu chegar ao G-4 do Brasileiro, ao fim da 24ª rodada. Os três triunfos consecutivos que obteve – todos por 3 a 2 – sobre Goiás, Cruzeiro e Santos foram fundamentais para o time alvinegro integrar o grupo dos quatro primeiros colocados, mas se deram de forma dramática, causando aflição e nervosismo a muitos torcedores.

Neste domingo, às 16h, contra o Vitória, no Independência, a Massa anseia ver mais um resultado positivo da equipe comandada por Levir Culpi, só que sem tantos sustos. É o que também esperam os jogadores, cientes, porém, de que não será nada fácil superar o adversário desta tarde.

Nos três confrontos passados, o Atlético abriu boas vantagens sobre os oponentes, mas teve dificuldades para administrar os resultados. Diante de Goiás e Santos, chegou a estar ganhando por três gols de saldo. Só que levou dois tentos no segundo tempo, sofrendo para garantir vitórias por 3 a 2 e angustiando seus torcedores. Diante do Cruzeiro, a missão foi ainda mais complicada. Depois de fazer dois gols, a equipe alvinegra tomou o empate e só nos acréscimos conseguiu chegar ao terceiro gol.

Esse cochilo do sistema defensivo quase custou pontos preciosos para a equipe. Mas não foi apenas a defesa que tornou a vida do Galo mais difícil. Os erros de finalização dos atacantes também se tornaram testes para muitos cardíacos.

O lateral-direito Marcos Rocha elogiou o empenho do time ao obter uma vaga no G-4 na 24ª rodada, mas prega uma melhora na pontaria de todos os atletas.

“Nós jogadores temos um pouco de culpa nisso, pois criamos muitas oportunidades no primeiro e segundo tempos. Mas conseguimos entrar no G-4. A confiança aumenta, principalmente para o nosso objetivo maior que é a Copa do Brasil. Dentro do Brasileiro, a nossa confiança também aumenta para chegarmos mais à frente na classificação”, afirmou o camisa 2.

O goleiro Victor é outro que cobra mais atenção, sobretudo do setor defensivo. “A gente se acomodou com o resultado. Fizemos 3 a 0 (na última quinta-feira) e achou que estava decidido. O Santos é uma boa equipe. E passamos susto. Não podemos deixar isso acontecer. Temos que segurar melhor o resultado”, comentou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave