Brasil lamenta tropeço e espera corrigir erros contra a Espanha

Mesmo com a derrota, o treinador Luiz Augusto Zanon exaltou pontos positivos como o sistema defensivo, porém reconhece necessidade de ajustes

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Luiz Augusto Zanon lamentou insegurança brasileira no duelo com a República Tcheca
FIBA/REPRODUÇÃO
Luiz Augusto Zanon lamentou insegurança brasileira no duelo com a República Tcheca

Em sua primeira partida no Mundial feminino de basquete, realizado na Turquia, a seleção brasileira acabou derrotada pela República Tcheca por 68 a 55. Durante o duelo, a equipe apresentou dificuldades no ataque, principalmente na conclusão das jogadas ofensivas. O aproveitamento só foi melhorado nos últimos períodos, mas aí já era tarde demais. Uma das líderes do time, a experiente pivô Érika admitiu a ansiedade da estreia. A jogadora espera que contra a Espanha, neste domingo, às 15h15 (de Brasília), os erros possam ser corrigidos. 

"Sabíamos que seria um jogo muito difícil, mas acho que entramos muito ansiosas. temos que ver os vídeos, corrigir os erros e entra mais tranquila. É difícil vencer a Espanha, mas se jogarmos com a mesma vontade e fizermos nosso jogo podemos conquistar uma vitória", afirmou. 

Mesmo com a derrota, o treinador Luiz Augusto Zanon exaltou pontos positivos como o sistema defensivo, porém reconhece que será preciso muito mais para vencer a Espanha. "No aspecto defensivo elas mostraram muita qualidade e cumpriram nosso planejamento, mas ofensivamente faltou muito coisa. Elas estavam muito inseguras no ataque e tirar essa diferença só marcando é muito complicado. Não estivemos bem nos lance livres, erramos muito no ataque e não conseguimos fazer o jogo interno", disse. 

"Primeiro contra a Espanha temos que jogar um basquete mais solto e tentar resgatar nossa confiança. E aí na sequência entrar para um jogo de tudo ou nada contra o Japão para seguir na competição", concluiu Zanon. 

Leia tudo sobre: basquetemundial femininoseleção brasileirazanonérika