PF vai apurar abordagem a Lobão

Nesta sexta, Lobão Filho dedicou boa parte do seu programa na TV para explorar o caso

iG Minas Gerais |

Brasília. Após pedido do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, de uma “investigação rigorosa”, a Polícia Federal (PF) informou nesta sexta que será instaurada uma sindicância interna para apurar eventuais irregularidades na revista realizada no avião do senador e candidato a governador do Maranhão Edison Lobão Filho (PMDB), filho do ministro das Minas e Energia, Edison Lobão.  

Na quarta, agentes da PF revistaram a aeronave, os veículos e a bagagem da comitiva do parlamentar no aeroporto de Imperatriz (MA) para verificar uma denúncia anônima de transporte ilegal de recursos. A operação gerou protesto por parte da cúpula do PMDB, que classificou a ação como “intimidatória”.

Se a sindicância identificar que houve abuso por parte de policiais, poderá ser aberto um processo administrativo disciplinar, cujas consequências são advertência, suspensão, destituição de cargo ou função comissionada e até demissão.

Nesta sexta, Lobão Filho dedicou boa parte do seu programa na TV para explorar o caso. Ele insinuou ter havido o envolvimento do secretário nacional de Justiça, Paulo Abrão, para beneficiar a candidatura do adversário, Flávio Dino (PCdoB). A motivação seria o fato de, horas antes da operação, o secretário ter aparecido em blogs e no programa eleitoral de Dino dando apoio ao candidato.

Delegados. A Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) divulgou nota nesta sexta em apoio ao delegado Paulo de Tarso Cruz Viana Junior, responsável pela operação. Para a associação, a repercussão do caso “é própria e comum ao período eleitoral e em nada compromete a atuação eficiente e isenta do delegado”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave