Ator se prepara para dar novo salto na carreira

iG Minas Gerais | Silvana Mascagna |


Ravel Andrade em cena de “Não Pare na Pista”, de
Sony
Ravel Andrade em cena de “Não Pare na Pista”, de

Em“Não Pare na Pista”, de Daniel Augusto, o ator Ravel Andrade não contracenou com o irmão Julio Andrade, mas trabalhou diretamente com ele na preparação dos personagens, Paulo Coelho jovem e na idade adulta. E foi estranho, ele diz: “Para eu conseguir me desvencilhar da ideia de que aquele cara não era o meu irmão demorou uns dois dias. Mas depois foi maravilhoso, foi um encontro”, ele conta.

O encontro dos dois atores veio coroar a relação dos irmãos, que sempre foi especial, apesar, ou por causa, da diferença de idade. “O Júlio saiu de casa aos 18 anos, quando eu tinha 3. E todos os fins de semana ele me pegava para passar uns três dias com ele. E como ele trabalhava muito, me levava aos lugares. Vivia nas coxias e nos sets de filmagem. Adorava aquela gente maluca”, diz.

Mas não foi assim tão óbvio que ele se tornaria ator. Durante algum tempo, achou que seria jogador de futebol. “Me mudei pra Caiscais, em Portugal, com meus pais. E lá jogava num time de categoria de base, e chegou uma hora em que tinha que decidir o que eu queria fazer. Optei pela carreira de ator”, afirma.

Ele voltou, então, para Porto Alegre e frequentou a Casa de Teatro, onde conheceu Zé Adão Barbosa, seu mestre, e ficou por dois anos. Depois, integrou o GrupoJogo de ExperimentAção Cênica, com o qual fez algumas peças, e até participou de um longa, “Cinco Maneiras de Fechar os Olhos”, um trabalho de conclusão do curso de produção audiovisual da Famecos/PUC-RS. Mas foi mesmo no set de filmagem de “Não Pare na Pista” que Ravel teve contato com o lado profissional da arte de atuar. “Ali foi cinema de verdade”.

Foi um salto, segundo ele. De Porto Alegre para São Paulo, de uma carreira amadora para uma profissional. E agora, ele se prepara para outro: mudar para o Rio de Janeiro para viver Julio, filho de Jurema (Elizângela) e Reginaldo (Flávio Galvão), em “Império”, novela de maior audiência na Rede Globo. “Eu ainda não comecei a gravar. Mas Julio é pernambucano e já estou conversando com meus amigos de Pernambuco para afinar o sotaque, que eu amo”, conta. O fato de mudar de cidade não o incomoda nem um pouquino. “Minha namorada mora lá”, revela.

A única perda é ficar longe do “coach”, Julio Andrade. “É, ele me dá altos toques. A gente assistia à ‘Sessão de Terapia’, e ele dizia: ‘nessa cena, você piscou muito. Nessa, você colocou muita tensão na boca’. Mas ele vai estar sempre comigo, não importa a distância”, afirma o ator.

A tranquilidade com que Ravel lida com essa nova fase da vida tem uma explicação para ele: “Tirei uma carta no tarô, que dizia ‘indo com a correnteza’. Ou seja, vou junto com o fluxo. Me adapto”, garante.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave