Um celeiro artístico e cultural

Capital norueguesa possui cerca de 30 museus, incluindo um parque com 212 esculturas

iG Minas Gerais | Tânia Ramos |

City Hall recebe anualmente a solenidade de entrega do Prêmio Nobel da Paz
Tânia Ramos
City Hall recebe anualmente a solenidade de entrega do Prêmio Nobel da Paz

Modesta, à primeira vista, para a capital de um país que possui o segundo maior PIB nominal per capita do mundo, é nas artes que Oslo mostra todo seu encantamento. Em lugar algum os artistas locais souberam retratar tão bem as emoções humanas e, de quebra, colocar suas inspirações a serviço da coletividade, como na capital norueguesa.

Para deleite do visitante, uma das obras-primas do expressionismo, “O Grito”, que goza hoje do status de “Monalisa”, pode ser vista – foi pintada em quatro versões – tanto na Galeria Nacional como no museu Munch, que abriga a coleção do autor Edvard Munch, doada ao Estado.

No parque Vigeland, um misto de área verde e galeria a céu aberto, pode-se apreciar as 212 esculturas em bronze, granito e ferro, de autoria do também norueguês Gustav Vigeland. Algumas bem ousadas e todas nuas – ele optou por não nomeá-las nem por roupas, para não datá-las –, suas esculturas são sobre a vida, representando as muitas emoções humanas, mas cuja leitura dependerá dos referenciais de cada espectador. O conjunto, concluído entre 1939 e 1949, reúne ainda um monolito de 14,2 m de altura, com 121 figuras curiosamente entrelaçadas.

A cidade, que detém o duplo título de “capital verde e cultural”, possui cerca de 30 museus e um extenso calendário anual de evento, bares descolados e restaurantes estrelados – muitos tradicionais, especializados em frutos do mar, e outros com uma proposta fusion.

Opera House

Na região portuária, atualmente toda repaginada, a Opera House é um ícone de modernidade de Oslo. Inaugurada em 2008, a casa do Norwegian National Opera & Ballet, a maior instituição de artes performáticas do país, consiste de um conjunto externo de rampas de mármore, paredes de vidro, com cobertura de alumínio, e um interior funcional de paredes curvas.

Centro histórico

Principal avenida de Oslo, a Karl Johans Gate, com 1,2 km, reúne a maioria dos prédios históricos, datados dos séculos XVII a XIX, como:

City Hall: Considerada a “Estrutura do Século” de Oslo, abriga a administração pública municipal. 

Prédios: Igualmente importantes são: Palácio Real, Parlamento, Catedral de Oslo, Galeria Nacional e Estação Central, também na Karl Johans Gate 

Fortaleza de Akershus:  Na região portuária, já foi residência, recebendo hoje apenas solenidades oficiais.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave