Adoçantes na berlinda

iG Minas Gerais | Dr. Telmo Diniz |

Cientistas israelenses publicaram, esta semana, na conceituada revista britânica “Nature”, um estudo dando conta de que o uso de adoçantes artificiais podem estar contribuindo para piorar os quadros de intolerância a glicose, aumentando os quadros de diabetes e, consequentemente, os casos de obesidade no mundo. Tudo isso ocorreria devido a alterações metabólicas que os adoçantes estariam provocando na flora intestinal. De forma sucinta, a pesquisa separou dois grupos de ratinhos. O primeiro recebeu água com adoçante (foram utilizados o aspartame, sacarina ou a sucralose) e, no segundo grupo, ofereceu água com açúcar. O estudo constatou que os ratinhos que consumiam adoçantes desenvolviam uma “intolerância à glicose” (níveis elevados de glicose no sangue). O que não ocorreu com o segundo grupo. Do mesmo modo, foi observado que os ratinhos que consumiam os adoçantes tinham alteração na composição da sua flora intestinal. O trabalho sugere que os adoçantes alteram a composição das bactérias benéficas do intestino, provocando um desequilíbrio. Isso parece dificultar o modo como o corpo lida com o metabolismo do açúcar, o que pode resultar no aumento das taxas no sangue. Milhões de pessoas deixaram de consumir açúcar no café e passaram a consumir, por razões de saúde, aspartame, sacarina ou outros adoçantes artificiais com o intuito, precisamente, de reduzir os níveis de glicose no sangue. Do mesmo modo, também a indústria alimentícia utiliza-os para reduzir as calorias dos produtos. Portanto, o estudo pega a todos de “calça curta”. E agora? Primeiramente, nada de pânico. O próprio estudo já coloca que são necessárias outras pesquisas para suspender o consumo destas substâncias, mas é enfático em afirmar que os adoçantes artificiais alteram a flora intestinal e, portanto, aumenta o açúcar no sangue. Então, alguns cuidados à mesa devem ser observados: tenha moderação no consumo dos adoçantes. Teste seu paladar, reflita se o uso de adoçantes não é mais um hábito que possa ser melhorado. Um adoçante não testado na pesquisa foi a estévia (extraído de produto natural e não artificial), sendo uma boa pedida. Opte por água, chás ou sucos naturais. Os refrigerantes e alimentos adoçados artificialmente são geralmente produzidos com uma combinações de adoçantes artificiais, não sendo então uma boa opção para consumo regular. Nenhuma opção (diet, zero, light) é considerada saudável e nutritiva. Os dietéticos não possuem calorias, porém, possuem grande quantidade de sódio. O ideal é consumir o mínimo possível. Comer bem não é ingerir menos calorias e sim alimentar-se de todos os produtos naturais que temos à disposição. faça uma boa semana.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave