PT despreza a ética e é complacente com a corrupção, diz Aécio

O tucano afirmou que "ninguém aguenta mais o que está acontecendo aí" e pregou que sua candidatura é a única opção com quadros para mudar o cenário político do país

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O senador mineiro Aécio Neves e sua possível candidatura ao Planalto estão na mira da oposição
Mariela guimarães - 26.4.2013
O senador mineiro Aécio Neves e sua possível candidatura ao Planalto estão na mira da oposição

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, fez duras críticas à presidente Dilma Rousseff e o seu partido, o PT. O tucano disse nesta sexta-feira (26), antes de iniciar agenda em Taboão da Serra (SP), que o governo Dilma tem "absoluto desprezo pela ética" e"complacência com a corrupção".

Aécio falou sobre o assunto ao ser questionado sobre o escândalo da Petrobras. Para ele, a "mais maldita herança" das gestões petistas seja o "absoluto descompromisso com valores". Segundo ele, o partido tem "deseducado a população".

"O desprezo desse governo com a ética é algo absurdo. O governo do PT deseduca os brasileiros, os jovens. Tudo aquilo que aprendemos com nossos pais e avós, que não se deve mentir, não se deve roubar, o governo do PT ensina ao contrário. Essa será talvez a mais maldita herança: um absoluto descompromisso com valores", disse.

O tucano afirmou que "ninguém aguenta mais o que está acontecendo aí" e pregou que sua candidatura é a única opção com quadros para mudar o cenário político do país. Nesse mote, também fez críticas à ex-senadora Marina Silva (PSB).

"Temos de um lado uma presidente que mente, mente quando diz que seus adversários vão acabar com programas sociais, por exemplo. E um governo no qual as denúncias de corrupção se sucedem. De outro lado, há uma candidata que as contradições de sua proposta são muito maiores do que suas boas intenções", disse.

Aécio está em terceiro lugar na disputa eleitoral, com cerca de 19% das intenções de voto, segundo a última pesquisa Ibope. Nesta sexta, ele voltou a dizer que confia em uma virada e destacou que sua candidatura é a "única que cresce em todas as regiões do país".

TUMULTO

O candidato havia se programado para fazer uma caminhada ao lado do governador Geraldo Alckmin (PSDB) por Taboão, mas deixou o local menos de 20 minutos após começar a atividade.

Houve tumulto entre seguranças que estavam com a comitiva tucana -além de Aécio e do governador candidatos a deputado acompanhavam a movimentação- e jornalistas. Também chovia, o que dificultou a agenda.

Um fotógrafo da agência de notícias AP foi espancado por um grupo de homens. Aécio e Alckmin não viram a confusão, mas foram embora pouco depois que ela ocorreu.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave