Reino Unido aprova ataques contra milícia no Iraque

Seis aviões já estão preparados para participar das primeiras ofensivas, após um pedido de ajuda do governo iraquiano

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O Parlamento britânico aprovou nesta sexta-feira (26) a participação do Reino Unido nos ataques liderados pelos EUA contra o Estado Islâmico no Iraque. Por 524 votos a 43, os parlamentares autorizaram as forças britânicas a bombardear posições do EI.

Seis aviões já estão preparados para participar dos primeiros ataques, após um pedido de ajuda do governo iraquiano. "O Estado Islâmico tem que ser destruído", afirmou o primeiro-ministro, David Cameron. "Esta não é uma ameaça no outro extremo do mundo".

"Se não for enfrentada, acabaremos enfrentando um califado às margens do Mediterrâneo, na fronteira com um membro da Otan, Turquia, e com uma determinação declarada e provada de atacar nosso país e nossa população", disse o premiê.

Embora o Parlamento deva votar a favor dos ataques aéreos, alguns parlamentares do partido de Cameron, o Conservador, consideram que os bombardeios somente no Iraque são insuficientes e querem que ele estenda a ação, para enfrentar também os militantes do EI na Síria, algo que Cameron disse não estar pronto para fazer por enquanto.

Coalizão

Os Estados Unidos lideram uma coalizão internacional que tenta enfraquecer a organização extremista com bombardeios aéreos na Síria e no Iraque, onde o EI controla territórios. No Iraque, os bombardeios são realizados pelos EUA e França, em coordenação com o governo local.

Já na Síria, os EUA e países árabes do Golfo pérsico têm atacado o EI. No entanto, os ocidentais se recusam a coordenar esforços com o regime de Assad na luta contra a facção. Os EUA apoiam na Síria a oposição moderada que quer o fim do governo Assad.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave