Presidenciáveis buscam o voto mineiro na reta final da disputa

Com 15 milhões de eleitores, Minas Gerais é um dos principais focos das campanhas à Presidência

iG Minas Gerais | Lucas Pavanelli |

A presença da candidata Marina Silva (PSB) em Minas nesta sexta encerra uma semana em que o Estado com o segundo maior colégio eleitoral do país (Minas Gerais tem cerca de 15 milhões de eleitores) foi uma espécie de destino de romaria para os presidenciáveis. A ex-ministra estará nesta sexta em Varginha, no Sul de Minas; Juiz de Fora, na Zona da Mata; e Lagoa Santa, na região metropolitana, em companhia do candidato ao governo de Minas, Tarcísio Delgado (PSB).  

A candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) esteve em Ribeirão das Neves, na região metropolitana, na última terça-feira, e Aécio Neves (PSDB) dedicou boa parte dessa semana a agendas em seu Estado natal: foi a Betim e Contagem na segunda-feira e esteve em Belo Horizonte e Uberaba nessa quarta.

Em queda nas pesquisas das últimas semanas – levantamento do instituto VoxPopuli divulgado nesta quinta coloca Marina a 13 pontos percentuais de Dilma – a candidata do PSB tenta atrair parte do eleitorado mineiro.

Até o momento, Marina só veio uma vez a Minas como candidata à Presidência, mesmo tendo sido a mais bem votada em Belo Horizonte nas eleições de 2010. O cientista político Rudá Ricci analisa a queda de Marina.

“Ela não teve coragem de sustentar aquilo que era a grande esperança do eleitorado dela, que é a novidade. Foi se aproximando dos políticos tradicionais e de setores como o agronegócio e os bancos, e começou a perder votos”, analisa.

Seu adversário Aécio Neves (PSDB), temendo uma derrota não só no eleitorado nacional, mas também em sua terra natal, se fez mais presente em Minas. Somente nesta semana foram dois dias em quatro cidades diferentes, nas quais fez apelo aos eleitores mineiros para evitar uma tripla derrota (não ir para o segundo turno, perder em Minas e não emplacar seu candidato, Pimenta da Veiga). Neste momento, o tucano está em terceiro lugar na disputa pela Presidência, ficando atrás de Dilma Rousseff no eleitorado mineiro, e há grandes chances de ver os petistas elegerem pela primeira vez o governador de Minas.

O marqueteiro de Aécio, Paulo Vasconcelos, confirmou a estratégia. “A agenda dele foi muito plural o tempo todo. Nesta reta final, não só ele como todos os candidatos estão focando os mercados de maior potencial de conversão de votos. Minas é um lugar de que o Aécio precisa e tem que ir mais. É um mercado que está sendo disputado pela presidente Dilma, que foi lá várias vezes”, avaliou nesta semana.

A petista esteve em Minas em cinco ocasiões desde o início da corrida eleitoral e deve eleger o Estado como um dos destinos de seu último dia de campanha.

Em Minas Marina. Veio ao Estado duas vezes enquanto candidata a vice-presidente e vem pela segunda vez, hoje, como cabeça de chapa. Aécio. Das últimas 11 viagens de campanha, sete foram para cidades mineiras. A presença maior visa diminuir a frente de votos que Dilma tem no Estado e tentar eleger Pimenta da Veiga. Dilma. Desde o ano passado tem intensificado as visitas ao Estado. Como candidata à reeleição, veio cinco vezes a Minas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave