‘Se houver controle, pode ser benéfico’

Tôrres também destacou que a necessidade de aprovação no Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município de Belo Horizonte auxilia no controle de um possível abuso

iG Minas Gerais | Aline Diniz / Bernardo Miranda |

A autorização para colocar engenhos de publicidade em edifícios dentro da Área de Diretrizes Especiais (ADE) da Serra do Curral gera uma preocupação com o aumento da poluição visual na região. Porém, na avaliação do presidente do Grupo de Empresas Mineiras de Arquitetura e Urbanismo (Gemarq), Júlio Tôrres, a medida pode ser benéfica se houver regulamentação rígida e fiscalização.  

“Se houver proteção da vista da serra, com regras bem-estabelecidas, eu não vejo problema, já que esse instrumento pode até ser benéfico para o visual da cidade. É melhor autorizar e fiscalizar, que proibir qualquer tipo de engenho de publicidade”, diz.

Tôrres também destacou que a necessidade de aprovação no Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município de Belo Horizonte auxilia no controle de um possível abuso. “O conselho conta com representantes da sociedade civil, como arquitetos, e não só com pessoas ligadas à prefeitura da capital. Por isso, acredito que vai haver um controle maior”, disse. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave