Abordagem santa não seria nova no município

Estudante de 20 anos contou que também foi agredida, porém verbalmente, em um ponto de ônibus da cidade

iG Minas Gerais | Dayse Resende |

O relato do auxiliar administrativo sobre a violência sofrida gerou grande repercussão nas redes sociais e até um comentário de que é comum casais gays serem abordados por grupos religiosos em Betim. A estudante de arquitetura Fernanda Gomes, 20, diz que já passou por uma situação dessas, mas sem agressão física.

Há dois anos, ela conta que estava com a ex-namorada em um ponto de ônibus, quando seis homens se aproximaram e começaram a condenar a união das duas. “Eles diziam que nosso namoro não era de Deus e ficavam falando partes da Bíblia”, relatou. Fernanda lembra que o grupo acompanhou as duas durante todo o trajeto no transporte coletivo, orando ao lado delas. “Encarei isso como uma falta de conhecimento. Mas minha ex-namorada ficou bem nervosa”. A 4ª Delegacia de Polícia de Betim informou não ter outros registros de homofobia ou perseguição religiosa contra homossexuais. Já o doutor em ciência da religião Paulo Agostinho acredita que tem crescido no país o fundamentalismo religioso, que interpreta o texto sagrado sem levar em conta o contexto histórico. “Em nome do fundamentalismo, essas pessoas têm a certeza de dizer que estão com a verdade e discriminam o que não acham certo. Essas pessoas passam por cima do mais importante da pregação religiosa, que é amar aos outros”. Goiás No início deste mês, um rapaz de 18 anos, que também era homossexual, foi morto em Inhumas, na região metropolitana de Goiânia. Segundo a polícia, a vítima foi encontrada em um lote baldio da cidade com hematomas pelo corpo e com pedaços de papel dentro da boca. Laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que o jovem lutou com o agressor antes de morrer e que ele possuía diversas marcas de hematoma pelo corpo. O documento concluiu também que a vítima morreu asfixiada e que não havia nenhuma fratura no corpo. O caso também causou revolta em internautas de várias partes do país.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave