Governo oferece reajuste de 6,5% ao funcionalismo para janeiro de 2015

Sindi-Saúde pede 15%, além de redução da jornada de trabalho e revisão do plano de carreira; conforme Seplag, índice foi uma forma de agraciar todas as categorias, não apenas a da saúde

iG Minas Gerais | Bernardo Almeida |

O governo de Minas Gerais apresentou uma proposta de 6,5% de reajuste salarial para o funcionalismo público do estado, a partir de janeiro de 2015. O número foi apresentado pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) a representantes de 22 sindicatos, em reunião do Comitê de Negociação Sindical, realizada na tarde desta quinta-feira (25), na Cidade Administrativa.

A proposta não agradou aos servidores da saúde, que reivindicam um aumento de 15%, além de outras mudanças, que a categoria alega terem sido ignoradas. “O aumento que solicitamos é necessário porque o governo não reajusta nosso salário há quatro anos”, explica Neuza Freitas, diretora do Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde/MG). “Além disso, também pedimos redução da jornada de trabalho e revisão do plano de carreira, assuntos que não foram levados em conta pelo governo”. O sindicato organizou uma assembleia na tarde desta quinta, na praça Sete, no centro de BH.

De acordo com a subsecretária de gestão de pessoal da Seplag, Fernanda Neves, o aumento de 6,5% foi uma forma de agraciar todas as categorias, não apenas os servidores da saúde. “Se reajustássemos os 15% para a saúde, somente com eles teríamos um impacto na folha salarial de R$ 720 mil, praticamente o que já gastaremos com todas, R$ 910 mil”.

Ainda de acordo com a subsecretária, a data para o reajuste foi passada para janeiro de 2015, em função do período eleitoral, que impediria a alteração imediata. Argumento que é contestado pelo sindicato. “Não existe infração eleitoral porque a data-base já era previamente estabelecida para outubro. Eles transferiram para outro governo”, completa Freitas.

A proposta de reajuste será encaminhada como projeto de lei para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O Sind-Saúde organizou uma assembleia na praça Sete, após a reunião, para debater os próximos passos da categoria.

O sindicato informou que vai organizar uma nova assembleia assim que o governo enviar o projeto para a ALMG.   

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave