Colocar mais PMs pode não ser solução

Em paralelo, Silva defende uma campanha de conscientização para os distraídos

iG Minas Gerais | Camila Bastos |

Entre as medidas tomadas para tentar combater o crime, o secretário adjunto de Defesa Social ressalta a inclusão de cerca de 2.000 novos policias militares nas, no próximo mês, além da utilização das câmeras do programa Olho Vivo na identificação dos focos de criminalidade.  

Para o especialista em segurança pública e sociólogo Róbson Sávio, o aumento de efetivo precisa ser acompanhado de uma maior articulação entre as policias Civil e Militar, de modo que o efetivo seria reforçado em parceria com os serviços de inteligência.

Sávio explica que a questão dos crimes contra o patrimônio (como os roubos) envolve três aspectos: baixa vigilância, vítima disponível e criminosos aptos para agir. “Não adianta agir só no ponto da vigilância. As ações têm que atingir tudo que permite os crimes”, avalia.

Em paralelo, Silva defende uma campanha de conscientização para os distraídos. “A desatenção cria um ambiente propício para os roubos. Geralmente o alvo dos bandidos são aparelhos celulares.” 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave