Buscas por operário soterrado estão suspensas por tempo indeterminado

Adilson Batista, de 44 anos, está desaparecido desde o dia 10 de setembro, quando a barragem de rejeitos onde ele trabalhava se rompeu em Itabirito

iG Minas Gerais | Bruna Carmona |

Buscas pelo terceiro trabalhador morto continuaram nesta sexta-feira (12)
ALEX DE JESUS/O TEMPO
Buscas pelo terceiro trabalhador morto continuaram nesta sexta-feira (12)

O Corpo de Bombeiros suspendeu temporariamente as buscas pelo operário Adilson Aparecido Batista, de 44 anos, que foi soterrado no rompimento da barragem de rejeitos B1 da Herculano Mineração, em Itabirito, na região Central do Estado, no dia 10 de setembro. A corporação informou que não há previsão para que as buscas sejam retomadas.

A assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros informou que a decisão de encerrar os trabalhos foi anunciada nesta quinta-feira (25) e deve-se à instabilidade do terreno na região da barragem que, segundo estudos da consultoria ambiental, oferece risco às equipes que estão empenhadas na busca caso as escavações sejam aprofundadas. 

Segundo a Herculano Mineração, também foram interrompidas as atividades de manutenção e recuperação da barragem B3, que fica próxima ao local do acidente. De acordo com a mineradora, um “plano de trabalho global das obras emergenciais” deve ser apresentado pela empresa até o dia 30 de setembro.

Em nota, a mineradora informou que está adotando novas medidas de segurança diante da possibilidade de chuva e comprometeu-se a providenciar, dentro do prazo fixado, a adequação às novas exigências do Plano de Emergência que já vinha sendo elaborado. O compromisso foi firmado em uma reunião nesta quinta-feira, que teve a presença do Núcleo de Emergências Ambientais (NEA), da Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Minas Gerais (Semad), do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), da Defesa Civil e da Secretaria de Meio Ambiente de Itabirito, além de representantes da Herculano Mineração.

Família

A irmã do operário desaparecido, Patrícia Aparecida Batista, de 34 anos, disse que a família acompanha as buscas e foi comunicada sobre a suspensão na tarde desta quinta-feira. “Hoje fez 16 dias que ele desapareceu, não está sendo nada fácil. Nosso maior medo é que o corpo não seja mais encontrado”, afirmou.

O acidente

Adilson Aparecido Batista trabalhava como operador de retroescavadeira na barragem que se rompeu e está desaparecido desde o dia do acidente. Máquinas especializadas e cães farejadores deram apoio às buscas, mas a vítima não foi encontrada.

O topógrafo Reinaldo da Costa Melo, de 68 anos, e o operário Cristiano Fernandes Silva, de 32, morreram no rompimento da barragem. Geraldo Moreira, de 42 anos, conseguiu se salvar.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave