Sem concorrente dentro e fora de campo

Gilvan de Pinho Tavares tem o apoio de 100% do conselho e não terá adversário na disputa pela reeleição

iG Minas Gerais | GUILHERME GUIMARÃES |

Pedro Vilela/Vipcomm
undefined

O Cruzeiro vive tempos de glória e o trabalho realizado nos bastidores do clube desde o ano passado gera ótimos frutos dentro das quatro linhas. Atual campeão brasileiro, o time celeste caminha a passos largos para mais um título nacional e muitos creditam a boa fase, principalmente, ao presidente Gilvan de Pinho Tavares.

Se no Campeonato Brasileiro a Raposa reina soberana com a liderança folgada, fora dos gramados é o seu mandatário quem dá, e seguirá dando as cartas.

Mesmo com o fim de seu primeiro mandato, que termina em dezembro, Gilvan ficará mais três anos no poder. No dia 9 de outubro, data acertada pelo Conselho Deliberativo cruzeirense para novas eleições presidenciais, Pinho Tavares será aclamado presidente por mais um triênio.

Segundo apurou O TEMPO com conselheiros e funcionários que exercem cargos diretivos no clube,  Gilvan tem o apoio de 100% do conselho. Por isso, a oposição não lançará candidato para o pleito de outubro próximo.

"A oposição existe e vai brigar por altos cargos no conselho deliberativo e no conselho fiscal. No entanto, para o cargo majoritário do clube seguimos apoiando o presidente Gilvan", garantiu Fernando Torquetti, conselheiro que em outras eleições fez parte de chapas da oposição à presidência.

Ainda de acordo com informações apuradas pela reportagem, cerca de 33% dos conselheiros celestes hoje são considerados de oposição. O atual segundo vice-presidente Márcio Rodrigues é um dos que se considera da "esquerda".

"Em uma futura eleição teremos candidato à presidência. Essa é uma de nossas certezas.Nomes não faltam e o próprio Márcio Rodrigues deve ser candidato no futuro, quem sabe em 2017", comentou Torquetti.

A chapa única a ser encabeçada por Gilvan deve seguir com Márcio Rodrigues como primeiro vice-presidência no lugar de José Maria Fialho, envolvido em escândalos recentes relacionados a negócios pessoais.

Leia tudo sobre: CruzeiroRaposaeleicoesGilvanoposicaoreeleicao