Presidente do Irã culpa ocidentais e árabes por ascensão do extremismo

Segundo o líder iraniano, Hasan Rowhani, políticas erradas adotadas por alguns países ocidentais transformaram o Oriente Médio e a Ásia Central num "paraíso para terroristas"

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Em seu discurso na Assembleia Geral da ONU, em Nova York, o presidente iraniano, Hasan Rowhani, acusou "certas agências de inteligência" ocidentais e Estados árabes de abrir caminho para o extremismo no Oriente Médio ao cometerem "erros estratégicos".

"Certas agências de inteligência puseram facas na mão de loucos, que agora não poupam ninguém" disse Rowhani, numa referência às recentes execuções de estrangeiros por extremistas da milícia radical Estado Islâmico (EI) na Síria e no Iraque -na última quarta, também por um grupo vinculado à facção na Argélia.

Segundo o líder iraniano, políticas erradas adotadas por alguns países ocidentais transformaram o Oriente Médio e a Ásia Central num "paraíso para terroristas". "Todos aqueles que desempenharam um papel importante na fundação e no apoio a estes grupos terroristas devem reconhecer os seus erros e pedir desculpas".

Rowhani defendeu que a solução para o problema "vem de dentro da região e de uma solução regional com o apoio internacional" e não deve vir de fora, como está sendo feito pela coalizão liderada pelos EUA.

"É um erro estratégico se alguns países estiverem tentando consolidar sua dominação sobre o Oriente Médio sob o pretexto de lutar contra o terrorismo porque os países da região podem lutar contra o terrorismo sozinhos", disse.

"Se os outros países realmente quiserem combater o terrorismo, eles devem ajudar os países regionais nos seus esforços de fazer isso", completou Rowhani. Aos países da região, o iraniano avisou: "estamos todos no mesmo barco e precisamos de coordenação e cooperação para lutar em problemas regionais".

Acordo nuclear

Rowhani disse que é possível alcançar um acordo sobre o programa nuclear iraniano com o P5+1 (EUA, Rússia, Reino Unido, França, China e Alemanha) até novembro. O iraniano disse que o país está determinado em seguir em negociações com confiança de ambas as partes e transparência.

Segundo o presidente, se o P5+1 estiver "igualmente motivado e flexível", é possível chegar a um consenso dentro do prazo estimado. "E então um ambiente totalmente diferente vai emergir para a cooperação nos níveis regionais e internacionais (...) como combater a violência e o extremismo", declarou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave