Basquete feminino do Catar abandona Jogos por véu

O regulamento da competição determina que as atletas joguem sem acessórios no cabelo, porém o ato vai contra as tradições islâmicas

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

A equipe de basquete feminino do Catar abandonou nesta quinta-feira os Jogos Asiáticos disputados em Incheon, na Coreia do Sul. As atletas se negaram a jogar sem véu, como determina o regulamento internacional e vai de encontro às tradições islâmicas. Na quarta, a equipe perdeu para a Mongólia por W.O. por se negar a retirar o acessório e, assim, desistir da partida.

A seleção deveria se apresentar nesta quinta-feira no centro poliesportivo de Samsan, onde jogaria contra o Nepal. Porém, o time não apareceu e anunciou que está abandonando a competição, alegando que os organizadores foram inflexíveis com relação ao uso do véu.

A Federação Internacional de Basquete (FIBA) estabelece em seu regulamento que atletas não podem usar chapéus ou outros acessórios no cabelo. A organização da 17.ª edição da versão asiática dos Jogos Olímpicos assegurou que nada pôde fazer, visto que a norma padrão é da Federação Internacional.

Em outras competições, como os eventos de badminton, tiro e provas de pista, vem sendo permitida a utilização do véu. As regras de cada esporte são definidas pela respectiva federação internacional e muitas permitem que os atletas usem acessórios que cobrem a cabeça durante as competições.

As regras sobre o uso de véus na cabeça no basquete ganharam relevância neste ano, quando se pediu que jogadoras indianas retirassem a vestimenta durante a Copa Asiática, jogada em julho na China.

No início deste mês, a Fiba disse que lançaria um programa piloto de dois anos que permitiria que as jogadoras usassem o véu. Porém, especificou a situação posteriormente. "A decisão do Conselho Central permite exceções que podem ser aplicadas a nível nacional, mas os Jogos Asiáticos são uma competição internacional", avisou a federação.