Ex-funcionários do Google desenvolve buscador para os amantes do pornô

Ferramenta garante o acesso a entidades confiáveis e inventores dizem que identidade dos usuários não são reveladas; buscador já recebeu cerca de 40 solicitações de companhias do setor e estrelas do pornô para publicidade

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Associação oferece curso para facilitar contato com estrangeiros
DANIEL CERQUEIRA -23.10.2007
Associação oferece curso para facilitar contato com estrangeiros

Um novo buscador de internet desenvolvido por um ex-funcionários do Google promete dar o que falar. O Boodigo é uma ferramenta  que pretende se transformar na porta de entrada à indústria do entretenimento para adultos na rede.

De acordo com a Agência Efe, um dos fundadores do Boodigo disse que a plataforma decolou como "um foguete". Ele contou que os inventores se dedicaram mais de um ano para desenvolver o sistema sobre o qual funciona o Boodigo, inclusive um algoritmo que dá prioridade a links que são ignorados pelos buscadores generalistas.

A pornografia ainda é tabu para muitas pessoas, porém, estatísitcas do Google mostram que ela é muito procurada na internet.

O buscador foi desenvolvido com a associação de palavras-chaves para a busca do conteúdo. O diferencial é que o Boodigo comprova que o usuário esteja acessando entidades confiáveis e não sites piratas com intenções fraudulentas ou maliciosas.

Os inventores garantem que o usuário terá a sua identidade preservada. Segundo a política de privacidade, o Boodigo não emprega "cookies" nem "qualquer outro tipo de tecnologia de rastreamento".

O buscador já recebeu cerca de 40 solicitações de companhias do setor e estrelas do pornô para publicidade, mesmo com poucos dias de lançamento. Os usuários que mais têm despertando interesse são dos países Brasil, Estados Unidos, Itália, Dinamarca, Reino Unido, Canadá e China.

O Boodigo faz parte agora da variada lista de buscadores específicos já existentes como o científico Wolfram Alpha, o de gifs animados Giphy e o fotográfico TinEye, entre outros.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave