Representantes de 24 países devem acompanhar eleições no Brasil

O objetivo das comitivas, entre as quais estão Angola, Zâmbia, Nicarágua, Canadá, Romênia e República Dominicana, é saber como funciona a votação por sistema eletrônico

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Pedido para votar fora do domicílio eleitoral terminou em 21 de agosto
Pedido para votar fora do domicílio eleitoral terminou em 21 de agosto

Representantes de pelo menos 24 países, além de membros do Parlamento Brasileiro do Mercosul (Parlasur) e de organismos internacionais como a Organização dos Estados Americanos (OEA), já confirmaram presença no Brasil durante as eleições no dia 5 de outubro. O objetivo das comitivas, entre as quais estão Angola, Zâmbia, Nicarágua, Canadá, Romênia e República Dominicana, é saber como funciona a votação por sistema eletrônico.

Os custos com hospedagem e passagem aérea são de responsabilidade dos interessados. A programação do grupo, que reunirá mais de 60 pessoas, começa quinta-feira (2), três dias antes do pleito, e inclui palestras sobre a organização das eleições gerais no Brasil e visitas ao Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal e ao Museu do Voto, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Tudo com tradução simultânea em inglês, francês e espanhol.

No dia da eleição, eles acompanharão a votação nas zonas eleitorais. “Eles poderão ver a abertura das urnas, o desenrolar da votação, o fechamento das urnas e, finalmente, a totalização dos votos no TSE”, explicou à Agência Brasil o chefe da assessoria de Assuntos Internacionais do TSE, Tarcisio Costa.

Ainda segundo o assessor, ao contrário de anos anteriores em que acadêmicos e integrantes de organizações não governamentais também acompanharam a votação, este ano apenas autoridades eleitorais de países-membros das Nações Unidas foram convidadas a conhecer o sistema de votação brasileiro.

Apesar de o TSE ter oferecido seis opções de capitais para que os convidados acompanhassem o dia de votação, todos os interessados, com exceção da comitiva camaronesa que vai a São Paulo, preferiram Brasília.

“Esse grau elevado de resposta [ao convite do TSE] é mais uma comprovação, um indício do reconhecimento internacional da excelência do nosso modelo eleitoral”, destacou o assessor internacional, acrescentando que a visita reforça a imagem positiva do Brasil no exterior.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave