Passageiros e motoristas reclamam de perdas

iG Minas Gerais |

Por causa dos protestos de ontem, muita gente desistiu ou perdeu compromissos. A publicitária Patrícia Avelar, 37, teve que adiar uma reunião em São Paulo após ficar parada na avenida Cristiano Machado. “Por causa do congestionamento, eu não consegui chegar a tempo ao aeroporto e tive que remarcar meu voo para duas horas depois”, reclama. Quem tinha compromisso na capital mesmo, teve que se virar. “Todos os passageiros desceram e foram andando. A maioria reclamou que perderia o dia de trabalho”, contou Josilan Silva, 31, motorista de um ônibus preso no congestionamento. Segundo João Carlos Gontijo, presidente da Comissão de Direitos Sociais e Trabalhistas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Minas Gerais, os empregados que se atrasaram ou não conseguiram chegar ao trabalho por causa do trânsito não podem sofrer punições, como descontos salariais ou demissões por justa causa. Já para quem perdeu o voo, o reembolso das passagens depende do contrato firmado com a empresa de aviação, segundo Bruno Bargarelli, presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB nacional. “Como o transtorno não foi causado pela empresa aérea, mas por motivos externos, qualquer reembolso ou remarcação vai depender exclusivamente do contrato”, afirma. (CR/ Camila Bastos)

Despejo

Ação. Segundo líderes das ocupações, as manifestações foram contra os 270 mandados de despejos existentes em Minas Gerais, além de reivindicar a urbanização dessas áreas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave