Só falta governo de Minas liberar a Anglo 100%

iG Minas Gerais | Ana Paula Pedrosa |

Ibama liberou nesta semana a operação do mineroduto da Anglo
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Ibama liberou nesta semana a operação do mineroduto da Anglo

A Anglo American considera a concessão da licença de operação (LO) do mineroduto do projeto Minas-Rio, pelo Ibama, um “marco muito importante rumo ao primeiro embarque de minério”. Em nota, a mineradora afirmou que a LO do porto, no Rio de Janeiro, foi concedida em maio, e que aguarda a licença para operar a mina, em Conceição do Mato Dentro, região Central de Minas Gerais, e a conversão definitiva da licença provisória de operação da linha de transmissão de energia elétrica de 230 kV, para começar a operar o Minas-Rio.

A LO da mina deve ser discutida em reunião da Superintendência Regional de Meio Ambiente (Supram) Jequitinhonha, ligada à Secretaria de Estado do Meio Ambiente de Minas Gerais, na próxima segunda-feira. Para os procuradores do Ministério Público Federal (MPF) e para os pesquisadores da UFMG, o órgão não deve conceder a licença, porque ainda há muitas pendências que não foram resolvidas pela mineradora.

O MPF expediu uma recomendação pedindo que a licença não seja concedida. O procurador Helder Magno da Silva diz que a Supram é negligente na exigência do cumprimento das condicionantes e considera “precoce” a liberação do mineroduto pelo Ibama.

A pesquisadora do Grupo de Estudos em Temáticos Ambientais (Gesta/UFMG), Ana Flávia Santos, também diz que o empreendimento não tem condições de operar, porque não cumpriu sequer as condicionantes da fase inicial do licenciamento. “Esse empreendimento vem arrastando um número absurdo de condicionantes desde a fase de licença prévia e sequer definiu seu universo de atingidos”, afirma. (Com agências)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave