Gratuidade dificulta conscientização

iG Minas Gerais |

Nem em Mariana nem em Ouro Preto os moradores pagam conta de água, que é distribuída e administrada por autarquias municipais. O benefício financeiro está dificultando a conscientização para evitar o desperdício. “A situação é gravíssima, mas é difícil conscientizar a população porque não há cobrança de tarifa” ressalta o superintendente executivo do Serviço Municipal de Água e Esgoto (Semae) de Ouro Preto, Wandeir José dos Santos.

Em Mariana, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) iniciou uma campanha com direito à notificação para quem é flagrado desperdiçando. São feitas, em média, oito notificações por dia, desde meados de agosto. Ainda não há cobrança de multa, apenas alerta para adoção de práticas contra o desperdício.

“Nos bairros onde as pessoas economizam, não falta água como nos outros”, afirma o diretor executivo do Saae, Valdeci Luiz Fernandes Júnior (QA)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave