WhatsApp para fisgar o eleitor

iG Minas Gerais |

O potencial do Facebook para as campanhas eleitorais é incontestável, mas o WhatsApp, sistema de troca de mensagens de texto, foto, áudio e vídeo por celular é um caso à parte. Pesquisa CNT/MDA indica que a ferramenta só perde para o Facebook em uso no Brasil.

A reportagem localizou o uso do WhatsApp por, além de Dilma Rousseff (PT), 14 campanhas de candidatos a governador, nenhum de Minas. Todas por adesão voluntária.

Levantamento da empresa OnDevice indica que, em smartphones, o WhatsApp já bateu o sistema de mensagens do Facebook.

Raul Marques, consultor de agência que oferece o serviço de WhatsApp para campanhas, diz que o custo varia de acordo com a quantidade de mensagens. Ele ainda conta que geralmente o candidato fornece os números de telefones. “Dez mil mensagens custam R$ 0,25, por mensagem. Já para 500 mil mensagens, o custo cai para R$ 0,10.”

No Brasil, 38 milhões de pessoas usam o aplicativo. A quantidade é comparável ao público da Índia, que tem cinco vezes mais habitantes, ou seja, proporcionalmente, é mais potente por aqui. (DM)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave