Dilma faz críticas a intervenção militar

iG Minas Gerais |

Nova York. A presidente Dilma Rousseff foi a primeira chefe de Estado a discursar na abertura da 69ª Assembleia Geral da ONU, ontem. Em sua fala, ela criticou o uso de intervenções militares para tentar solucionar conflitos bélicos. “O uso da força é incapaz de eliminar as causas profundas dos conflitos. Isso está claro na persistência da questão palestina, no massacre sistemático do povo sírio, na prática de desestruturação nacional do Iraque e nos embates na Ucrânia”, disse a presidente.

Desmatamento. Em entrevista a jornalistas, a presidente disse que o país não foi consultado sobre um acordo de países europeus sobre florestas, que propõe reduzir pela metade o desmatamento até 2020 e zerá-lo na década seguinte. “É uma declaração que foi apresentada por alguns países sobre florestas, não foi apresentada pela ONU. Por que o Brasil se recusou a assinar? Primeiro porque não nos consultaram”, afirmou Dilma.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave