Moradores de BH e região metropolitana temem racionamento velado

Leitores informaram à reportagem a falta do abastecimento de água por longos períodos ou em intervalos específicos, denotando um possível racionamento; Copasa nega

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Há algumas semanas, crescem as reclamações de moradores não só de Belo Horizonte e região metropolitana, mas também de todo o Estado, em relação a falta de abastecimento de água em suas respectivas comunidades ou regiões. A falta de água pode acontecer por um longo período, como ocorre em Pará de Minas, na região Central de Minas Gerais, ou de forma intermitente.

O TEMPO perguntou aos leitores onde está faltando água na região, e recebeu diversas respostas, como a da Isabela, moradora do Eldorado, em Contagem, que informou que estava faltando água no bairro pelo menos duas vezes por semana a noite e sem nenhum aviso, mas que depois das reclamações dos moradores à Copasa, o problema foi resolvido.

Outro leitor, morador do bairro Diamante, no Barreiro, disse que observou o problema também no bairro Teixeira Dias. “Nos finais de semana a falta de água é frequente, mas ela volta no domingo à noite. Algumas vezes durante a semana, também falta água”.

Um segundo morador do Barreiro, confirmou o problema e disse que no Barreiro de Baixo, perto da avenida Sinfônio Brochado está havendo racionamento de água diariamente, de 15h às 3h. “Já ligamos na Copasa e eles falam que não tem nenhuma informação pra nos passar”, disse.

Já em Lagoa Santa, um morador denunciou que realmente está havendo um racionamento de água na região. “Mas não de forma declarada pela Copasa. Mas isso está acontecendo há pelo menos dois meses. Eles estão alegando que está ocorrendo um problema com uma bomba alimentadora”, informou.

Outra morador de Lagoa Santa, Cláudia de Oliveira, confirmou o desabastecimento e disse que a última semana foi a pior. “Moro no bairro Joá e essa última semana foi terrível. Ficamos sem água durante cinco dias, até que no final de semana o nosso reservatório de cerca de dois mil litros se esgotou de vez. A Copasa simplesmente se finge de morta", declarou.

Em Vespasiano, o Túlio contou que o desperdício de água potável parte da própria Copasa, devido a vazamentos nunca consertados pela empresa. E o Igor Silva, de Betim, disse que em horários específicos o bairro Alto das Flores também está sofrendo racionamento de água.

Em Igarapé, moradores continuam sofrendo com o problema, conforme reportagem veiculada em O TEMPO (clique aqui para ler).

Por meio de sua conta no Facebook, o ator Helbert (Beto) Amaral Militani, endossou o coro de que está havendo racionamento de água em Belo Horizonte. Ele chegou a ouvir de uma atendente a confirmação e também guardou o número de protocolo da solicitação, mas a Copasa, porém, informou via nota que o número não consta em seu sistema de atendimento.

Confira o relato completo de Beto:

“Alarmante! Sim meu senhor, a Copasa está racionando a água em BH. Foi o que me disse agora a pouco a atendente M. Minha ligação tinha o intuito de descobrir porque, em menos de três dias, voltou a faltar água aqui no Esplanada, região Leste da capital. Na minha inocência, acreditava eu que com certeza seria por motivo de alguma manutenção na rede, como era costume acontecer; sempre tive orgulho de dizer que em Minas, vivemos na ´caixa de água do Brasil´, dado o fato da abundância dos rios volumosos do nosso Estado; e, por ironia, iniciei a conversa com ela perguntando logo de cara se a Copasa estava racionando a água, esperando que ela logo rebatesse com a costumeira ´manutenção do sistema´; mas pra minha surpresa ela foi direta e honesta, honesta até demais, eu queria ter gravado essa ligação, porque ela não parou ali, me disse que a situação está muito séria, está faltando água em varias regiões de BH, os reservatórios estão vazios e a Copasa tem perdido muitas bombas de distribuição pois as mesmas tem bombeado apenas ar! De modo que a empresa resolveu fazer rodízio de distribuição e bombeamento, no caso da região Leste, vai faltar durante o dia, período em que os reservatórios enchem, e volta durante a noite, em outras regiões será diferente.

Espantado perguntei a ela: Mas moça, por que ninguem fala nada, não vi nada no jornal, nenhum anúncio, por que isso? As pessoas ficam aí lavando calçada, carro, jogando agua fora.. um desperdício danado! A gente é pego de surpresa, não dá tempo nem de reservar um balde pra lavar as vasilhas da cozinha!! Por que isso?

Ao que ela me diz, também muito honestamente: Meu senhor. estamos no período eleitoral, o governo do Estado não quer que essa situação caia na mídia, estamos tentando resolver da melhor maneira possível, mais alguma coisa em que posso ajudar?

Eu agradeço pasmado, desligo o telefone e penso que o futuro chegou”.

Resposta

A Copasa informou, por meio de nota, que Belo Horizonte, Betim, Contagem e parte de Vespasiano são abastecidas pelo sistema integrado da região metropolitana de Belo Horizonte, composto pelos sistemas Paraopeba e Rio das Velhas, os quais estão com níveis de oscilação previstos para o período de estiagem.

"Nesse sentido, o atendimento à população permanece normalizado. Já o município de Lagoa Santa e parte de Vespasiano são abastecidos por meio de poços profundos independentes que também estão com níveis de oscilação previstos para o período", informou.

A Copasa também esclareceu que denúncias e problemas sobre o abastecimento de água devem ser reportados a empresa. "Caso o usuário perceba intermitências no abastecimento, vazamentos externos ou uso indevido da água por partes de outras pessoas (desperdício), deve entrar em contato pelo telefone 115 e informar o endereço completo para que uma equipe técnica seja enviada ao local para apurar a situação. A Copasa ressalta que podem ocorrer manutenções pontuais no sistema que dependem do fechamento dos registros locais para que os trabalhos sejam concluídos, o que pode refletir, eventualmente, em intermitências temporárias no abastecimento".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave