Política abala vida de ladies e lordes

Quinta temporada da série britânica chega com muitas mudanças

iG Minas Gerais | ISIS MOTA |

Pretendentes. A viúva Lady Mary (MichelleDockery)terá uma vida mais agitada nesta quinta temporada
GNT / Divulgação
Pretendentes. A viúva Lady Mary (MichelleDockery)terá uma vida mais agitada nesta quinta temporada

Lordes e ladies estão de volta. Começou no último domingo, no Reino Unido, a quinta temporada de “Downton Abbey”, drama de época que encanta mostrando a delicada relação entre o andar de cima, onde vivem os nobres, e o andar de baixo, onde estão os mordomos, lacaios, valetes e damas de companhia que os vestem e despem, antecipam seus menores desejos e cuidam para que o mundo, da porta para dentro, continue perfeito.

“Downton Abbey” começa em 1912, passa pela I Guerra Mundial, pelo movimento sufragista das mulheres, pelas ideias separatistas e pela própria contestação dos direitos dos lordes sobre seus vassalos.

É aí que as estruturas de “Downton Abbey” serão abaladas. O ano já é 1924, e o Partido Trabalhista chega pela primeira vez ao poder na Inglaterra. A mudança tumultua a vida da família do Lord Grantham, Robert Crawley (Hugh Bonneville). A imponente propriedade rural que abriga os Crawley pega fogo – literalmente –, crescem os mistérios em torno da filha de Edith Crawley (Laura Carmichael) e aumentam as consequências do estupro contra a empregada Anna Bates (Joanne Froggatt), ocorrido no início do quarto ano da série.

Ao pobre Lord Grantham resta a missão quase impossível de tentar manter as tradições e a fortuna da família -–que agora se resume à herança de sua mulher norte-americana – num mundo em acelerada transformação.

Robert Crawley sente pra valer as mudanças quando seu mordomo todo-poderoso Carson (Jim Carter) é convidado para um cargo político, o que assusta até o próprio empregado. “Carson gosta das coisas tradicionais”, diz Carter. “As pessoas nunca souberam o que o pessoal do andar de baixo faz na folga, como é a vida fora dali”, explica o ator.

A trama. Grantham só teve filhas, que, por lei, não podem ficar com o título ou os bens. Seu herdeiro, um primo de segundo grau, desaparece no naufrágio do Titanic bem no primeiro episódio. O próximo na lista de sucessão é um parente distante, Matthew Crawley (Dan Stevens), advogado de classe média que reluta em aceitar seu inesperado destino e é rejeitado pela família pela sua vocação para o trabalho. Afinal, para eles, a nobreza existe para proteger e empregar os plebeus, não para colocar a mão na massa.

Matthew enfim se rende, deixa Manchester e vai conhecer suas futuras propriedades na zona rural, certo de que Lord Grantham tentará empurrar uma das filhas para cima dele. A partir daí, é um novelão só, com todos os ingredientes do gênero. Como pano de fundo para os romances e tragédias (que são muitas), estão a chegada da luz elétrica, do telefone e dos automóveis, a conquista do direito ao voto pelas mulheres, o nascimento do socialismo, o movimento separatista da Irlanda, a I Guerra Mundial e, inevitávelmente, uma sacudida no sistema de classes. A guerra iguala nobres e pobres.

Até a Dilma. Em conversa com jornalistas de “O Estado de S. Paulo”, no dia de sua sabatina pelo jornal, a candidata Dilma Rousseff comentou que tinha acabado de assistir à terceira temporada da série. Foi o que bastou para que um repórter lhe perguntasse o que achou da morte de Matthew, o personagem de Dan Stevens. Só que a presidente não tinha acabado de ver, ainda lhe faltavam 20 minutos. Exatamente a parte em que ele morre. E dá-lhe bronca no rapaz que estragou a surpresa... No dia seguinte, já no Palácio da Alvorada, Dilma contou aos jornalistas que não só tinha acabado de ver – sem chorar, depois do spoiler do repórter –, como já tinha encomendado a quarta temporada em DVD.

Uma coisa nós já podemos contar para a telespectadora Dilma sem perder a graça: a viúva de Matthew Crawley, Lady Mary (MichelleDockery), disputada entre pretendentes desde a morte do marido, ganha nesta quinta temporada uma vida social mais agitada para quem sabe, enfim, mudar seu estado civil. “Acho que a confiança dela está de volta. Ela vai abraçar a nova vida e talvez decidir o que quer”, conta Michelle Dockery sobre sua personagem. “A velha Mary está voltando”, diz a atriz, com olhar de mistério, dando a entender que ela será de novo a mulher sociável do início da série. 

Só em 2015

A quinta temporada vai acabar com um episódio especial de Natal no Reino Unido. Por aqui, deve ser exibida pelo canal GNT só em 2015. (Com agências)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave