Rica simplicidade do choro

Projeto belo-horizontino busca recursos para finalização de documentário sobre o chorão Mozart Secundino

iG Minas Gerais | Daniel Oliveira |

Chorão. Além de músico, Mozart Secundino já foi entregador de marmita, vendedor de doce e taxista
Amanda Gomes
Chorão. Além de músico, Mozart Secundino já foi entregador de marmita, vendedor de doce e taxista

Apesar de serem fãs de choro, e especialmente do trabalho do músico mineiro Mozart Secundino de Oliveira, foi algo mais que a simples paixão pela música que levou os amigos Daniela Meira, Amanda Gomes, Mariana Mól e Nísio Teixeira a fazerem um documentário sobre Mozart. “É um cara que já sofreu muito na vida. Teve dificuldades, criou os filhos, e encontrou um jeito leve de viver. Não é um velho rancoroso, pelo contrário. Com a idade dele, toma sua cervejinha, seu uísque, e está lá vivendo bem. A gente não podia deixar isso passar em branco”, explica a codiretora Amanda Gomes.

É esse espírito que o grupo tenta captar, desde 2009, no filme “Simplicidade: Mozart Secundino de Oliveira”. Inicialmente realizado com recursos próprios, o projeto foi inscrito em editais e leis de incentivo, mas não foi aprovado. Por isso, os amigos criaram uma campanha de financiamento coletivo no site Variável 5 que tenta, até o dia 7 de outubro, angariar R$ 15 mil para a finalização do documentário.

“Como o Mozart já está mais velho, com 91 anos, ficamos com receio de não conseguir finalizar a tempo e partimos para uma solução mais rápida”, explica Gomes. Entre apresentações do músico com seus muitos grupos – inclusive sua performance no projeto musical Minas ao Luar –, seu cotidiano familiar e depoimentos de colegas e amigos, o projeto já conta com 24 horas de material bruto que os realizadores esperam reduzir a um corte final de 50 minutos.

Entre os momentos especiais registrados no documentário, Gomes destaca a visita que eles acompanharam de Mozart ao Mercado Central, onde ele trabalhou há mais de 40 anos. “Ele reencontrou pessoas que trabalharam com ele na época e ainda estão lá. A gente entrevistou esses caras, que contaram histórias incríveis”, relata.

Além disso, a codiretora ressalta a importância dada à vida familiar do músico – já que o projeto queria, mais do que ser uma ode ao talento de Mozart, revelar as origens da sua personalidade carismática e carinhosa. “Eles contam como a música sempre foi muito importante e presente nos encontros familiares, especialmente com o Mozart mostrando todo o bom repertório que ele conhecia”, descreve.

O grupo já começou a roteirizar o filme, mas aguarda a definição da campanha no Variável 5 – escolhido por ser um site de Belo Horizonte, administrado por amigos do grupo – para iniciar o processo de edição, bem trabalhoso e custoso. Além da simples montagem, o material necessita também – pela natureza de seu objeto – de tratamento de som.

Com menos de duas semanas para o encerramento da campanha, ainda restam cerca de R$ 7 mil a serem arrecadados. Mas, esperançoso, o grupo já faz os planos para o documentário após a finalização. “O primeiro objetivo é fazer uma estreia em Belo Horizonte ainda este ano para quem participou do filme poder ver. E se tudo der certo, mandar depois para festivais e divulgar pelo resto do Brasil”, torce Gomes.

Colabore: http://variavel5.com.br/projetos/simplicidade/

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave