Tesouro Direto

iG Minas Gerais |

Nos últimos anos, os brasileiros têm descoberto que existem diversas formas de investir o dinheiro economizado. Antes, éramos quase todos, reféns da caderneta de poupança. Outras formas de investimento eram exclusividade dos grandes aplicadores. O sistema financeiro evoluiu e tem buscado oferecer diversas alternativas de investimento, de acordo com o perfil e objetivo do investidor. Uma aplicação que vem conquistando os brasileiros é o investimento em títulos do governo através do Tesouro Direto. O Tesouro Direto é um programa de venda de títulos a pessoas físicas desenvolvido pelo Tesouro Nacional, em parceria com a Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia - CBLC. Os títulos públicos são ativos oferecidos pelos governos ao mercado. Possuem a finalidade primordial de captar recursos para o financiamento da dívida pública, bem como para financiar atividades do Governo Federal, como educação, saúde e infraestrutura. Além disso, ajudam na política monetária do governo, controlando o volume de moeda em circulação, que, sem controle, pode levar ao crescimento da inflação. No Tesouro Direto, você mesmo gerencia seus investimentos, que podem ser de curto, médio ou longo prazo. É uma ótima opção para quem quer investir com baixo custo, alta rentabilidade e liquidez quase imediata. Sempre que você precisar, poderá resgatar os títulos antes do vencimento pelo seu valor de mercado, uma vez que o Tesouro Nacional garante a recompra de seu título todas as quartas-feiras. Caso não queira gerenciar seus investimentos, você pode autorizar uma das instituições financeiras habilitadas a operar no Tesouro Direto (Agentes de Custódia) para efetuar compras e vendas dos títulos públicos. O rendimento da aplicação em títulos públicos é bastante competitivo se comparado com as outras aplicações financeiras de renda fixa existentes no mercado. As taxas de administração e de custódia são baixas e o Imposto de Renda só é cobrado no momento da venda ou vencimento do título (quanto aos títulos que pagam cupom de juros, também é descontado Imposto de Renda no pagamento do cupom). O primeiro passo para adquirir títulos é se cadastrar em algum dos Bancos ou Corretoras habilitados no Tesouro Direto (Agentes de Custódia). O site do Tesouro Direto (www.tesourodireto.gov.br) apresenta a relação destes bancos. Para isso, você deve entrar em contato com a instituição escolhida, fornecer as informações solicitadas e enviar a documentação exigida. Em seguida, você irá receber sua senha no endereço eletrônico informado em seu cadastro, sendo integralmente responsável pelo seu uso e manutenção do seu sigilo. Depois e só acessar o site e escolher os títulos e o valor do investimento. Os títulos diferenciam-se pela forma de remuneração que pode ser pré-fixada ou pós-fixada (na primeira ao fazer sua aplicação já se sabe qual será o rendimento durante toda a aplicação e na segunda, ao rendimento dependerá da variação do índice que serve como base). Também difere a forma de pagamento dos rendimentos: alguns títulos pagam os rendimentos semestralmente e outros somente no seu vencimento. É importante conhecer algumas outras diferenças entre os diversos títulos ofertados (como LTN – Letras do Tesouro Nacional; LFT – Letras Financeiras do Tesouro; NTN – Notas do Tesouro Nacional), antes de começar a aplicar. Neste mês, continuo com a promoção do livro “Meu Dinheiro”, buscando que mais pessoas possam adquiri-lo. Os leitores interessados podem me enviar um e-mail que retorno com as indicações de como proceder. No livro, são discutidos temas importantes sobre finanças pessoais de uma forma que ajude os leitores a melhorar o seu relacionamento com o dinheiro. Mandem dúvidas e sugestões para o e-mail carloseduardo@harpiafinanceiro.com.br.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave