Cerveja sem álcool atua como repositor energético pós-treino

Cerveja com álcool, porém, tem efeito diurético e pode gerar desidratação

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

Beber cerveja costuma ser visto como o contrário de uma vida saudável, principalmente para os adeptos da atividade física. Mas, para a alegria dos cervejeiros, essa relação nem sempre é verdadeira. Uma pesquisa da Universidade Técnica de Munique, na Alemanha, descobriu que a cerveja sem álcool é benéfica para o organismo dos atletas.

O trabalho provou que a bebida reduz a inflamação pós-atividade física, além dos casos de infecções do trato respiratório superior. “Os polifenóis naturais, presentes em alimentos como a cerveja não alcoólica, têm fortes propriedades antioxidantes, antipatogênicas e anti-inflamatórias”, explica o texto do artigo, publicado no periódico “Medicine & Science in Sports & Exercise”. A cerveja deve ser sem álcool, pois a substância é diurética e poderia provocar uma desidratação. “No Brasil, há um preconceito contra a cerveja devido ao alto consumo. Na Alemanha, eles tratam a bebida como um produto diário. Os alemães sabem que a cerveja é um repositor energético e há até uma marca famosa que patrocina eventos esportivos”, conta o sommelier de cervejas Demian Salles, da loja Mr. Beer. Legislação. No Brasil, é considerada “sem álcool” a cerveja que contém até 0,5% de teor alcoólico. Segundo o sommelier de cervejas, é possível encontrar algumas opções no mercado. “Entre as cervejarias industriais, quase todas têm uma opção sem álcool. Os preços se comparam àqueles das demais cervejas”, afirma. Mas é preciso ficar atento: se a bebida não for totalmente livre de álcool, quem a consome deve ficar longe do volante. “Com a tolerância zero, se consumido em grande quantidade, esse 0,5% de álcool já é pego pela Lei Seca”, alerta Salles. Método. As cervejas sem álcool são, segundo o sommelier, uma invenção recente. “Somente há alguns anos chegamos a soluções de fermentação interrompida, ou a processos químicos que permitem retirar o álcool depois da bebida pronta”, afirma o sommelier, que diz estarem chegando ao mercado agora cervejas com 0,0% de álcool. Em termos de sabor, Salles garante que a bebida sem álcool não perde em nada para a alcóolica. “(O gosto) fica um pouco diferente. É mais adocicado, mais parecido com o do mosto (líquido feito de malte e cevada, que sofrerá fermentação e dará origem à cerveja), mas ela continua tendo gás”, explica.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave