Estados Unidos informaram Síria sobre início dos ataques aéreos

O início das operações aéreas em território sírio contra o EI marca a abertura do que o presidente Barack Obama afirmou que será uma longa campanha, cujo objetivo é deteriorar e, finalmente, derrotar os extremistas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O governo sírio informou nesta terça-feira (23) que Washington informou o presidente Bashar Assad a respeito dos iminentes ataques aéreos contra o grupo Estado Islâmico, horas antes de a coalizão liderada pelos Estados Unidos atacar redutos dos militantes sunitas no norte e leste da Síria.

O início das operações aéreas em território sírio contra o Estado Islâmico marca a abertura do que o presidente Barack Obama afirmou que será uma longa campanha, cujo objetivo é deteriorar e, finalmente, derrotar os extremistas que tomaram o controle de grandes extensões de terra na Síria e no Iraque.

Autoridades sírias haviam afirmado que qualquer ataque contra o Estado Islâmico em seu território deveria acontecer apenas após um acordo com Damasco, advertindo que ações tomadas sem o consentimento do governo seriam consideradas atos de agressão e violação da soberania do país.

Horas depois do início dos ataques, o Ministério de Relações Exteriores da Síria disse em comunicado que Washington informou ao enviado de Damasco na Organização das Nações Unidas (ONU) a respeito do início das ações militares pouco antes do início das operações. A mensagem diz também que o secretário de Estado norte-americano John Kerry enviou uma mensagem ao principal diplomata sírio, usando o ministro de Relações Exteriores iraquiano como intermediário, informando Damasco a respeito dos planos de ataque.

Washington ainda não havia feito comentários a respeito das afirmações do governo sírio. Os Estados Unidos descartaram a realização de um trabalho de coordenação direta com o governo do presidente Bashar Assad.

Mas o governo sírio parece ter tentado se posicionar do lado da coalizão internacional contra o grupo extremista sunita. No comunicado, Damasco prometeu continuar a combater a facção extremista em toda a Síria e disse que não vai interromper ações coordenadas "com países que foram afetados pelo grupo, principalmente o Iraque".

"A República Árabe Síria diz que apoia qualquer esforço internacional para combater o terrorismo, independentemente de como o grupo seja chamado, seja ele Daesh, Frente Nusra (ligada à Al-Qaeda) ou qualquer outro", diz o documento. Daesh é o acrônimo árabe para Estado Islâmico.

Os Estados Unidos e cinco países árabes começaram os ataques contra alvos do grupo extremista por volta das 21h30 (em Brasília) de segunda-feira, informaram autoridades norte-americanas.

Ativistas sírios disseram que mais de 50 ataques aéreos e com mísseis atingiram redutos militantes no norte e leste da Síria, alguns dos quais causaram enormes explosões. Autoridades norte-americanas disseram que os ataques foram realizados pelos Estados Unidos, Bahrein, Catar, Arábia Saudita, Jordânia e Emirados Árabes Unidos.