Dedé reconhece altos e baixos e diz que não merece a seleção

Zagueiro reconhece que tem que deixado a desejar e indicou que busca evoluir para sanar divida de gratidão com a torcida

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Para Dedé, jogo no Mineirão terá outra história, com o time voltando a ser ofensivo
Washington Alves / Light Press
Para Dedé, jogo no Mineirão terá outra história, com o time voltando a ser ofensivo

Por toda a fama obtida durante seu período de Vasco e também pela pompa construída em sua transferência e apresentação com a camisa do Cruzeiro, o zagueiro Dedé é um dos jogadores que mais recebe cobranças. Sempre é esperado um bom futebol do defensor, apelidado de “Mito”. Mas ele também é crítico o suficiente para reconhecer que anda devendo, principalmente em uma comparação com o ano passado, período em que passou por momentos de instabilidade na vida particular, mas conseguiu dar a volta por cima. “Em 2013, eu até tive algumas falhas. Mas, a partir das falhas, fui bem, consegui me recuperar e até fui considerado o melhor zagueiro do Brasileiro. Já neste ano, eu tive alguns períodos como a lesão, não é desculpa. No entanto, a gente que tem uma visibilidade maior, o espectador espera sempre um futebol bonito. E eu sei que ainda tenho que melhorar bastante”, afirmou Dedé. “Futebol é difícil estar envolvido, estar jogando, todos os jogadores já viveram altos e baixos. Mas, graças a Deus, eu tive momentos melhores do que piores, ajudei a equipe a conquistar dois títulos. Eu sou muito crítico, sei do que posso, sei do que sou capaz, esperam muito de mim, devem esperar mesmo. Ainda mais depois de tudo que aconteceu, o torcedor que me esperou no aeroporto, eles têm que esperar coisas boas de mim. Aqui (no Cruzeiro) aconteceram várias coisas que podem ter interferido, como a lesão, a doença da minha irmã. No Vasco não acontecia nada disto. Aqui o pessoal já espera muito de mim, e qualquer erro é uma explosão”, completou o defensor. Justamente por reconhecer seu momento instável, Dedé também descartou a possibilidade, pelo menos por agora, de retornar à seleção brasileira. “Dedicando eu estou, mas acho que não estou merecendo. Quem está sendo convocado está sim merecendo, está bem, estão fazendo sua parte no elenco”, avaliou. No clássico contra o Atlético, o zagueiro foi um dos que mais receberam críticas pelas falhas no gol. Porém, Dedé se vê tranquilo com o que executou dentro de campo e analisa como injusto os comentários feitos por parte da imprensa e também da torcida. “Eu estou em um momento de altos e baixos, são jogos assim como contra o Atlético, que eu vejo e dou risada porque acontecem algumas críticas. Mas isto eu tiro como incentivo para mim. É difícil conquistar pessoas, eu tento sempre agradar a todos, não puxando o saco, não fazendo média, mas alguns tentam me atingir com bobeira. Um analista coerente, correto, sabe que os lances que o torcedor pode achar como falha, não aconteceram. O cara que dá uma nota vai saber criticar o jogador. Na minha visão, foi um jogo muito pegado fisicamente, de velocidade, técnica. Eu, analisando, fui muito bem”, concluiu.   

Leia tudo sobre: cruzeiroraposadedezagueirotorcidafutebolcritica