Olympico vence ação e é confirmado como campeão metropolitano

Tambasa-Minas entrou na justiça pedindo exclusão da equipe do campeonato; votação teve 5 a 1 a favor do Tricolor da Serra

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Júlio não demorou para se dar conta do tamanho do erro que cometeu
Arquivo pessoal
Júlio não demorou para se dar conta do tamanho do erro que cometeu

As três semanas que se passaram desde a final do Metropolitano de futsal entre Olympico Club e Tambasa-Minas poderiam ter jogado por terra o título do clube da Serra, depois de 34 anos.

No entanto, a medalha de ouro foi confirmada em julgamento realizado na última quinta-feira.

O jogo, que aconteceu no dia 29 de agosto, que terminou empatado, resultado favorável ao Olympico, foi marcado por um incidente não muito comum.

Nos minutos finais, o pivô Júlio Nunes, do Olympico, saiu do banco de reservas e invadiu a quadra para impedir que o Minas abrisse dois gols de vantagem. O jogador foi expulso e o tento não marcado do Minas propiciou o empate do time de Júlio, nos segundos derradeiros.

O Minas não aceitou e entrou na justiça para reverter a situação. No entanto, a votação de 5 a 1 a favor do Olympico manteve o título do Tricolocar da Serra.

"Tivemos apenas um voto contra. No entanto, esse voto foi pela remarcação do jogo e não pela exclusão do Olympico, como o Minas pretendia", mostra o advogado Lucas Ottoni.

A defesa lembrou de um incidente parecido ocorrido com o Minas para justificar o caso. "Em 2012, um preparador físico do Minas fez o mesmo e fui punido. Não houve premeditação da invasão, foi uma atitude isolada do atleta. A punição poderia até acontecer, mas para o atleta e não ao clube", relata Ottoni.