Ônibus do Palmeiras é apedrejado e torcida protesta

Alguns torcedores também tentaram agredir jogadores e comissão técnica, mas a Polícia Militar de Goiânia conteve a situação; nenhum palmeirense foi detido

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Depois da derrota histórica para o Goiás, por 6 a 0, os jogadores do Palmeiras foram recepcionados no hotel em que ficaram hospedados, em Goiânia, com pedras e garrafas, atiradas por um grupo de torcedores em direção ao ônibus da equipe. As pessoas reunidas no local ainda tentaram agredir jogadores e comissão técnica e a Polícia Militar de Goiânia teve que conter a situação.

Curiosos fizeram vídeos e fotos e, segundo relatos, houve também cusparadas e xingamentos direcionados aos que desciam do ônibus. Mesmo assim, ninguém foi detido, mas o motorista registrou um boletim de ocorrência.

A diretoria palmeirense já anunciou que a delegação desembarcará pela pista do Aeroporto de Guarulhos, nesta segunda-feira, com o intuito de evitar a presença de torcedores exaltados, que possam criar confusão. O treino da tarde será fechado.

Também na noite deste domingo, torcedores fizeram um protesto ao pintar os muros da sede de uma das torcidas organizadas do Palmeiras. Na frase escrita pelos torcedores, o presidente do clube, Paulo Nobre, foi xingado. Além disso, os integrantes da organizada pediram a saída do dirigente, no cargo há quase dois anos. As eleições estão marcadas para o fim deste ano.

O Palmeiras está em crise desde a retomada do Campeonato Brasileiro após a disputa da Copa do Mundo. Desde então, o time acabou derrotado nove vezes, com três empates e apenas duas vitórias. Nesse período, Ricardo Gareca passou pelo clube e acabou demitido após nove partidas no campeonato. Após a contratação de Dorival Júnior, a equipe conquistou apenas cinco pontos em 15 possíveis, chegando à lanterna do torneio.

Após a derrota para o Goiás, a maioria dos jogadores evitou falar sobre a crise, limitando-se apenas a pedir desculpas ao torcedor. O atacante Diogo, entretanto, disse que o problema da equipe não é só técnico. "Falta vergonha na cara para todos nós. Tenho filho e mãe, estão todos sofrendo. Pela história do Palmeiras, isso é inadmissível", afirmou o jogador.

A delegação do Palmeiras chega a São Paulo nesta segunda-feira. Na próxima rodada, o time enfrenta o Vitória no Pacaembu. A partida será disputada na próxima quinta-feira, às 19h30. A equipe baiana é um adversário direto na luta contra o rebaixamento.

Leia tudo sobre: palmeirasdorival juniorgoleadagoiasataqueonibus