Operador de retroescavadeira está soterrado há 21 dias

Vítima desapareceu em um rompimento de uma barragem de rejeitos da Herculano Mineração em Itabirito, na região Central do Estado, no dia 10 deste mês, e ainda não foi encontrado

iG Minas Gerais | CAMILA KIFER |

Já Adílson segue desaparecido
Moisés Silva
Já Adílson segue desaparecido

O sofrimento da família do operador de retroescavadeira Adilson Aparecido Batista, de 44 anos, chega há 21 dias. O operador foi soterrado no rompimento de uma barragem de rejeitos da Herculano Mineração em Itabirito, na região Central do Estado, no dia 10 deste mês, e ainda não foi encontrado.

Conforme informações do Corpo de Bombeiros, seis militares e dois cães, da raça labrador, trabalham nas buscas iniciadas na manhã deste domingo (21). A estratégia utilizada por militar é drenar o local onde se suspeita estar o operário. A corporação acredita que o procedimento possa facilitar a procura.

A polícia civil já começou as investigações sobre o caso. Até o dia 15 de setembro, a delegada responsável pela apuração, doutora Mellina Clemente, ouviu dois ex-funcionários da empresa, uma engenheira de segurança, que ainda atua na mineração, e uma das vítimas sobreviventes. Os depoimentos que serão analisados fazem parte das investigações. 

Acidente

O rompimento da barragem de rejeitos aconteceu na quarta-feira (10). O local estava desativado e recebia restos de lavagem do minério. Uma grande quantidade de rejeitos atingiu os operários e seus veículos - três caminhões, um Uno e duas retroescavadeiras. No momento do acidente, os funcionários faziam manutenção no local.

Morreram no acidente o topógrafo Reinaldo da Costa Melo, de 68 anos, e o operário Cristiano Fernandes Silva, de 32. Geraldo Moreira, de 42 anos, recebeu alto do Hospital João XXIII no mesmo dia em que ocorreu o rompimento.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave