Após invasão, Casa Branca anuncia que revisará planos de segurança

Na sexta-feira (19), homem conseguiu pular cerca da Casa Branca, e, em questões de segundos, correu os aproximadamente 65 metros que separam o prédio do portão sem ser detido

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

NOVA YORK, EUA - A Casa Branca anunciou que fará uma revisão dos planos de segurança do local após um homem conseguir pular a cerca e entrar na residência oficial do presidente americano na noite da última sexta-feira (19). No sábado à tarde, outro homem foi detido ao se aproximar, com um carro, de um dos portões do prédio sem autorização.

No primeiro incidente, Omar J. Gonzalez - que, segundo o "Washington Post", portava uma faca de 6,5 cm - conseguiu pular, por volta de 19h20 (20h20 no Brasil) de sexta, a cerca voltada para a Pensilvania Avenue, um dos pontos mais visitados por turistas que querem tirar fotos da Casa Branca, e, em questões de segundos, correu os aproximadamente 65 metros que separam o prédio do portão sem ser detido.

O texano de 42 anos então abriu a porta do pórtico norte e entrou no edifício, sendo imobilizado por um agente que estava do lado de dentro. Segundo o jornal, foi a primeira vez que uma invasão dessa gravidade ocorreu.

O presidente Barack Obama e suas filhas tinham deixado, havia 10 minutos, a Casa Branca de helicóptero rumo à residência de Camp David.

Numa explicação absurda, Gonzalez disse aos agentes estar preocupado que "a atmosfera estava entrando em colapso" e precisava buscar o presidente para que avisasse à população. Segundo parentes, o americano teria servido no Iraque como atirador de elite.

REVISÃO O Serviço Secreto é orientado a não atirar em invasores, a não ser que eles demonstrem estar armados ou carreguem mochilas ou pacotes que possam conter explosivos. Um cão treinado para atacar invasores nessas situações também não foi solto no incidente de sexta-feira, e as razões, segundo a Casa Branca, serão investigadas.

A porta estaria destrancada porque é muito usada durante todo o dia. O hall onde Gonzalez entrou tem uma escada que leva para os quartos de uso da família presidencial.

Após a invasão, o porta-voz da Casa Branca Frank Benenati disse que o presidente mantém "total confiança" no Serviço Secreto e espera que a revisão da segurança seja feita "com o mesmo profissionalismo e comprometimento que ele e o povo americano esperam do Serviço Secreto".

Edwin Donovan, porta-voz do Serviço Secreto, disse que a ação foi "obviamente preocupante". "O que aconteceu não é aceitável, e vai ser cuidadosamente examinado", afirmou. A diretora do Serviço Secreto, Julia Pierson, também ordenou um reforço no efetivo de segurança da Casa Branca.

No segundo incidente, na tarde de sábado (20), um jovem entre 18 e 19 anos, identificado como Kevin Carr, de Shamong, em Nova Jersey, se aproximou, sem autorização, com o carro de um dos portões e se recusou a recuar quando ordenado. Ele foi detido.

FolhaPress

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave