Capivaras começam a ser recolhidas

Délio Malheiros confirmou o início do manejo dos animais para amanhã

iG Minas Gerais | Camila Bastos |

As capivaras da lagoa da Pampulha começam a ser retiradas da orla a partir de amanhã. O vice-prefeito e secretário municipal de Meio Ambiente, Délio Malheiros (PV) confirmou ontem o início dos trabalhos. Os animais serão levados para isolamento no Parque Ecológico, na mesma região. A remoção acontecerá por causa da preocupação com a febre maculosa, já que a capivara é hospedeira do carrapato-estrela, que transmite a doença.

A ação foi autorizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no começo do mês. Os animais passarão por bateria de exames, para identificar, entre outros, quais deles possuem alguma doença. A estimativa é que existam cerca de 250 indivíduos da espécie vivendo na lagoa.

Délio Malheiros, no entanto, contou que a destinação final dos roedores ainda não foi definida. “Depois de apurar a quantidade de machos e fêmeas e quais estão em boas condições é que nós vamos discutir a destinação final delas”, ponderou o vice-prefeito.

A discussão a cerca da retirada dos animais surgiu em fevereiro, quando um homem morreu de febre maculosa. A suspeita é de que ele tenha contraído a doença após um passeio de bicicleta na orla da lagoa da Pampulha.

Limpeza. Segundo Malheiros, a ação faz parte de uma série de investimentos de revitalização que estão sendo realizados na Lagoa da Pampulha. Até outubro, a Copasa irá acabar com 95% do esgoto despejado na lagoa. Os outros 5% seriam redes clandestinas. A partir disso, uma empresa contratada vai iniciar a limpeza do espelho d’água.

Melhorias

Resíduos. Está concluído cerca de 80% do trabalho de desassoreamento da lagoa da Pampulha. Entre outras ações de revitalização, foram investidos aproximadamente R$ 180 milhões.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave