Minientrevista

Gustavo Teixeira - Psicólogo mestre em análise do comportamento

iG Minas Gerais |

Qual é o percentual de mitômanos no Brasil? Não existem dados de quantidades de mentirosos compulsivos, pois é um problema de difícil mensuração.

Por que as pessoas mentem compulsivamente? O pesquisador Antônio Ribeiro tem um experimento que é um clássico da mentira. Ele colocava crianças brincando com alguns brinquedos e, depois, perguntava com quais elas tinham brincado. E elas falavam a verdade. Depois, ele começou a perguntar e dava uma prenda – uma bala – dependendo da quantidade de brinquedos com que a criança havia brincado. Elas começaram a mentir, dizendo que haviam brincado com todos os brinquedos. O pesquisador só teve a verdade novamente quando passou a dar a bala contingente à criança ter brincado mesmo com o brinquedo. É um experimento simples, para mostrar que o comportamento de mentir está ligado às consequências (da mentira).

É vantajoso mentir? É uma armadilha. A curto prazo, até pode trazer alguma vantagem. A médio e longo prazo, a pessoa se enrola toda e não sabe mais o que contou. Inventa detalhes e depois esquece. Quem convive um pouco mais acaba percebendo, todo mundo fica chateado, com raiva. Isso acaba trazendo sofrimento a médio e longo prazos.

É possível a pessoa parar de mentir? Há um ditado popular que diz: “pau que nasce torto, até a cinza é torta”. Felizmente, nós não somos paus, então podemos mudar. (RS)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave