Aos pés do Villarrica

Temporada é de passeios por vulcões e cruzeiros na Patagônia chilena

iG Minas Gerais | Guilherme Freitas |

Aventura. Trilha conduz turistas até a cratera do vulcão Villarrica
GUILHERME FREITAS/Agência O Globo
Aventura. Trilha conduz turistas até a cratera do vulcão Villarrica

O Chile é um destino popular para esquiadores e turistas, que se divertem dando os primeiros passos (ou tombos) na neve. Mas é a partir de setembro, quando as temperaturas começam a subir, que a diversidade da natureza nessa parte do país, repleta de lagos, rios, montanhas, vulcões e parques nacionais, pode ser melhor explorada.

Uma das principais atrações dessa região é Pucón, na província de Araucanía. A pacata cidadezinha de 30 mil habitantes, à beira do lago Villarrica, chega a receber 100 mil turistas no auge do verão. Muito popular entre viajantes chilenos e argentinos, ela começa a ser mais conhecida pelos brasileiros.

Nos dias mais quentes do ano, famílias, mochileiros e esportistas fazem de Pucón a base para incursões pela variada paisagem local. A trilha até a cratera do vulcão Villarrica (inviável durante o inverno), excursões às cavernas vulcânicas, caminhadas pela vegetação tipicamente chilena do Parque Nacional Huerquehue e o rafting pelas corredeiras do Rio Trancura são algumas das opções.

Neve no calor

Mais ao sul do país, onde a paisagem muda bruscamente em relação ao centro, está a incrível Patagônia chilena. Entre as muitas formas de conhecer a região na primavera e no verão, quando o frio polar se abranda, estão os cruzeiros que começam por Punta Arenas, à beira do Estreito de Magalhães.

A viagem de quatro dias permite avistar pinguins e geleiras, claro. Mas inclui outras descobertas, como passeios de barco pelas águas do Parque Nacional Alberto de Agostini, terceiro maior do Chile, e visitas a locais que há séculos despertam a imaginação de viajantes de todo o mundo, como o Canal Beagle, o Cabo Horn e a Terra do Fogo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave